Leia mais:
Leia mais:
Qual deve ser a duração do repouso após cirurgias abdominais ou correção de hérnias? 

Telas de alta gramatura são superiores no reparo laparoscópico de hérnias inguinais 

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

O reparo de hérnias inguinais com auxílio de telas tem se tornado a abordagem de escolha, visto que reduz risco de recidivas. É importante ressaltar, todavia, que o uso dessas próteses pode elevar a incidência de dor pós-operatória e sensação de corpo estranho. Propriedades como elasticidade, porosidade, tipo de polímero utilizado e gramatura influenciam diretamente na performance das telas e, embora muitos estudos tenham comparado essas características, não há consenso sobre a tela ideal a ser aplicada no reparo de hérnias inguinais. 

Leia também: Como deve ser feito o tratamento de hérnias complexas em pacientes obesos?

Outro fator a ser considerado é a técnica de reparo utilizada, visto que abordagens videolaparoscópicas, como a transabdominal pré-peritoneal (TAPP) e a laparoscópica totalmente extraperitoneal (TEP), quando comparadas ao clássico reparo aberto pela técnica de lichtenstein têm mostrado resultados promissores em relação à dor pós-operatória e ao tempo de recuperação. 

Telas de alta gramatura são superiores no reparo laparoscópico de hérnias inguinais 

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas

Estudo atual

Considerando o aumento do uso dessas técnicas de reparo minimamente invasivas, uma recente meta-análise objetivou avaliar qual a tela ideal a ser utilizada nesta abordagem. Para isso, o estudo comparou, entre telas de diferentes gramaturas, a que apresentou melhores resultados no reparo de hérnias inguinais, principalmente nas diretas e de grandes dimensões. 

Foram avaliados 12 artigos que compararam telas de alta gramatura (TAG, > 70 g/m²) e telas de baixa gramatura (TBG, 50 g/m²) no reparo de hérnias inguinais não complicadas pela técnica laparoscópica. Do total de 2.909 pacientes, 1.490 foram abordados com TBG e 1.419 foram abordados com TAG. Os desfechos analisados foram taxa de recorrência, dor crônica e sensação de corpo estranho. O período de seguimento pós-operatório variou entre 3 e 60 meses. 

Quanto aos resultados, observou-se que TBG aumentam o risco de recorrência herniária (TBG 32 casos vs TAG 13 casos de recidiva, RR: 2,21) principalmente no reparo de hérnias diretas sem fixação da tela (13 vs 1 para TBG e TAB, respectivamente, RR: 7,27) e em defeitos de grandes dimensões. Em relação ao desfecho dor pós-operatória, não houve diferença significativa em relação aos grupos avaliados (123 vs 127 para TBG e TAB, respectivamente, RR: 0,79). Também não houve diferença em relação à sensação de corpo estranho, visto que 100 pacientes com TBG e 103 com TAG apresentaram esse desfecho (RR: 0,94). 

Saiba mais: Hérnias inguino-femorais: como identificar?

Em resumo, as TAG se mostraram superiores no reparo laparoscópico de hérnias inguinais diretas ou de grandes dimensões, visto que reduzem a incidência de recorrência. Adicionalmente, TBG não mostraram benefício no reparo de hérnias indiretas. 

Para Levar para Casa 

Considerando a importante prevalência de hérnias inguinais e o aumento do uso de técnicas minimamente invasivas, a escolha da tela que reúna melhores resultados pós operatórios, menor custo e facilidade de manuseio é de elevada relevância para o cirurgião. Para hérnias inguinais diretas ou de grandes dimensões, as TAG têm menor risco de recidiva, além de apresentarem custo reduzido, o que favorece seu uso, principalmente em reparos laparoscópicos

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • Bakker W, Aufenacker T, Boschman J, Burgmans J. Heavyweight Mesh Is Superior to Lightweight Mesh in Laparo-endoscopic Inguinal Hernia Repair. Annals of Surgery. 2020;273(5):890-899. doi: 10.1097/sla.0000000000003831 
Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar