Página Principal > Colunistas > Terapia precoce com cafeína melhora desenvolvimento de bebês prematuros?
cafeína

Terapia precoce com cafeína melhora desenvolvimento de bebês prematuros?

Tempo de leitura: 2 minutos.

A cafeína é utilizada com bastante frequência em Unidades de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) para prevenir a apneia da prematuridade e tem sido associada a melhores resultados no neurodesenvolvimento de recém-nascidos (RN) prematuros. A cafeína aumenta a extração de oxigênio, sugerindo um efeito estimulante transitório no metabolismo cerebral (DIX et al., 2018).

Recente artigo canadense publicado pela revista Pediatrics por Lodha et al. descreve a associação entre o início precoce de cafeína versus o início tardio e o desenvolvimento neurológico em neonatos prematuros. Neste estudo, foram incluídos RN com menos de 29 semanas de idade gestacional nascidos entre abril de 2009 e setembro de 2011 em unidades da Rede Neonatal Canadense  e posteriormente avaliados em centros da Rede de Acompanhamento Neonatal Canadense. Os RN que receberam cafeína foram divididos em dois grupos:

  1. Grupo que iniciou precocemente o uso de cafeína (dentro de dois dias após o nascimento);
  2. Grupo que iniciou tardiamente o uso de cafeína (dois dias após o nascimento).

O desfecho primário foi o comprometimento significativo do neurodesenvolvimento, definido como: paralisia cerebral ou escore inferior a 70 na escala Bayley III® de desenvolvimento infantil (Bayley Scales of Infant and Toddler Development®, Third Edition) ou uso de prótese auditiva ou implante coclear, ou deficiência visual bilateral em 18 a 24 meses de idade corrigida.

Leia mais: O consumo de café é mesmo tão saudável assim?

Dos 2.108 neonatos elegíveis, 1.545 estavam no grupo que iniciou precocemente o uso de cafeína e 563 estavam no grupo que iniciou o uso tardiamente. As taxas de broncodisplasia, persistência do canal arterial (PCA) e lesão neurológica grave foram menores no grupo que iniciou a cafeína precocemente. Comprometimento significativo no neurodesenvolvimento [odds ratio ajustado 0,68 (Intervalo de confiança – IC – 95%: 0,50 – 0,94)] e chances de obtenção de um escore inferior a 85 na escala Bayley III® [odds ratio ajustado 0,67 (IC95% 0,47 – 0,95)] foram inferiores no grupo que fez uso precoce de cafeína.

Análises pareadas revelaram menores chances de paralisia cerebral e deficiência auditiva apenas. Os autores concluíram que a terapia precoce com cafeína está associada a melhores resultados no desenvolvimento neurológico em comparação com a terapia tardia em RN prematuros (LODHA et al., 2019).

É médico e também quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Referências:

  • Lodha A, Entz R, Synnes A, Creighton D, Yusuf K, Lapointe A, Yang J, Shah PS, investigators of the Canadian Neonatal Network (CNN) and the Canadian Neonatal Follow-up Network (CNFUN). Early Caffeine Administration and Neurodevelopmental Outcomes in Preterm Infants. Pediatrics. 2019 Jan;143(1).
  • Dix LML, van Bel F, Baerts W, Lemmers PMA. Effects of caffeine on the preterm brain: An observational study. Early Hum Dev. 2018 May;120:17-20.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.