Leia mais:
Leia mais:
Tolvaptan retarda a progressão da doença policística renal?
Estudo esclarece eficácia do Tolvaptan no tratamento de insuficiência cardíaca

Tolvaptan retarda a progressão da doença policística renal?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minuto.

Em estudos prévios, o tolvaptan (antagonista do hormônio antidiurético) não mostrou o benefício esperado no tratamento da insuficiência cardíaca e seu uso ainda é controverso. Em novo artigo do New England Journal of Medicine, pesquisadores realizaram um ensaio clínico de fase III para determinar se o medicamento pode retardar a progressão da doença renal policística.

Para isso, foram selecionados 1.370 pacientes com doença renal policística: com 18 a 55 anos e taxa de filtração glomerular (TFG) estimada de 25 a 65 ml/minuto por 1,73 m² de área de superfície corporal, ou 56 a 65 anos e TFG estimada de 25 a 44 ml/minuto por 1,73 m². Os participantes foram randomizados para tolvaptan ou placebo por 12 meses.

A variação da TFG no baseline foi de -2,34 ml/ por 1,73 m² (IC de 95%: -2,81 a -1,87) no grupo tolvaptan, em comparação com -3,61 ml/minuto por 1,73 m² (IC de 95%: -4,08 a -3,14) no grupo placebo (p<0,001). As elevações no nível de alanina aminotransferase para mais de 3 vezes o limite superior do intervalo normal ocorreram em 5,6% pacientes do grupo tolvaptan e em 1,2% do grupo placebo. Essas elevações foram reversíveis após a interrupção do tolvaptan. Não foram detectadas alterações significativas no nível de bilirrubina.

Para os pesquisadores, esses achados demonstram que o uso de tolvaptan resultou em um declínio mais lento do que o placebo na TFG durante um período de um ano em pacientes com doença renal policística.

Veja também: ‘9 fatos que você precisa saber sobre a doença renal’

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências:

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar