Clínica Médica

Tosse crônica: novos insights e perspectivas

Tempo de leitura: 2 min.

A tosse, em circunstâncias normais, é um reflexo que protege contra aspirações e costuma estar presente em diversas situações. Entretanto, em inúmeros casos, ela se torna prolongada, com prejuízos à qualidade de vida e à vida financeira das pessoas. Estima-se que até 18% das pessoas sofram de tosse crônica ou tosse refratária. Essa revisão se dispõe a pontuar o que há de evidência para manejo e tratamento da tosse crônica, além das novas perspectivas.

A tosse crônica

Classicamente, a tosse pode ser definida em aguda (até 3 semanas de duração), subaguda (entre 3-8 semanas), ou crônica (maior ou igual a 8 semanas). O termo tosse crônica refratária foi utilizado para definir pacientes com resistência a tratamentos específicos, porém não há muita diferença de sintomas. Independentemente de como é chamada, a tosse crônica é associada a inúmeras doenças e com necessidade de melhores tratamentos. É frequentemente desencadeada por baixos níveis de exposição térmica, mecânica ou química, refletindo uma etiologia comum, conhecida como síndrome de hipersensibilidade à tosse, caracterizada por uma desregulação central, de nervos sensitivos vagais e gânglios. A prevalência global é de cerca de 10%, com predomínio em mulheres e pode durar anos, com relatos de persistência de 10 a 20 anos. Pode vir associada com outros sintomas como dispneia, fadiga, alterações do sono e incontinência urinária, este último também mais encontrado em mulheres e um forte fator de piora da qualidade de vida. Uma série de condições, incluindo síndrome do intestino irritável, apneia obstrutiva do sono, obesidade, doença da tireoide, síndromes neuropáticas, doença do refluxo, asma e rinite alérgica, são comuns em pacientes com tosse crônica, contribuindo para a carga sintomática da doença. O diagnóstico deve excluir doenças de base e visar as características do indivíduo, como a presença de inflamação eosinofílica, que pode predizer resposta aos corticoides inalatórios, e a presença de refluxo gastroesofágico.

Uma variedade de tratamentos é atualmente recomendada para controlar a tosse crônica. Os medicamentos com o nível de recomendação mais forte nas diretrizes da European Respiratory Society (ERS) são neuromoduladores incluindo morfina em baixa dose, gabapentina, pregabalina e amitriptilina. Identificar o tratamento correto pode ser desafiador, uma vez que muitas vezes não está claro qual fenótipo da tosse deve ser tratado e os pacientes podem variar muito em termos de responsividade. Além disso, muitos dos tratamentos recomendados são usados ​​off-label e a evidência de eficácia é limitada ou fraca. Em pacientes com tosse refratária, estudos apontam benefício do antagonista do receptor P2X3, inibindo vias de sinalização em neurotransmissores centrais. Trabalhos recentes apontam que eles são capazes de reduzir a frequência e intensidade da tosse e a droga mais estudada é o Gefapixant. Os efeitos colaterais são raros, e o mais relatado é a disgeusia. Porém, maiores estudos fase III ainda são necessários.

Mensagens práticas:

  • A tosse é uma das principais queixas em consultas e prontos-socorros e no geral melhora em até 3 semanas;
  • Diversas causas geram tosse crônica, porém há indícios de que a via fisiopatológica seja comum à diversas doenças;
  • As drogas mais utilizadas e estudadas são a morfina, gabapentina, pregabalina e amitriptilina;
  • Antagonistas dos receptores P2X3 foram eficazes em reduzir a frequência e a intensidade da tosse refratária;

Referências bibliográficas:

  • Morice A, Dicpinigaitis P, McGarvey L, et al. Chronic cough: new insights and future prospects. Eur Respir Rev 2021; 30: 210127 [DOI: 10.1183/16000617.0127-2021].
Compartilhar
Publicado por
Guilherme das Posses Bridi

Posts recentes

Diazepam intrarretal após cirurgias de reconstrução pélvica

Foi publicado um estudo com a finalidade então de avaliar o uso de diazepam supositórios…

16 horas atrás

Governo Federal sanciona lei que cria bula digital e muda sistema de rastrear medicamentos

O Governo Federal sancionou a lei que obriga todo medicamento comercializado no Brasil a ter…

2 dias atrás

Modelo de reconhecimento de caligrafia para detectar doença de Parkinson é desenvolvido por adolescentes americanos

Foi publicado um estudo sobre o aprendizado de máquina baseado em um conjunto de algoritmos…

2 dias atrás

Highlights do ATS 2022 [podcast]

Confira os destaques do ATS 2022, um dos maiores encontros em pneumologia, cirurgia torácica e…

3 dias atrás

PEBMED e ILAS: terapia antimicrobiana na sepse [podcast]

Neste episódio, saiba mais sobre a terapia antimicrobiana na sepse. Confira!

3 dias atrás

Fernanda Pautasso esclarece os principais aspectos sobre enfermeiro navegador

Convidamos a Enfermeira Mestre Fernanda Pautasso para bater um papo super interessante sobre enfermeiro navegador.

3 dias atrás