Transplante hepático para pacientes com hepatite alcoólica grave é eficaz?

Um novo estudo analisou os desfechos de pacientes com hepatite alcoólica grave submetidos a transplante hepático precoce.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

Um novo estudo analisou os desfechos de pacientes com hepatite alcoólica grave submetidos a transplante hepático precoce. Os resultados foram publicados em maio no periódico Gastroenterology.

Para esse estudo retrospectivo, pacientes com diagnóstico de hepatite alcoólica grave e sem diagnóstico prévio de doença hepática ou episódios de hepatite alcoólica foram submetidos a um transplante hepático precoce (antes de 6 meses de abstinência), entre 2006 e 2017, de 12 centros americanos.

Foram coletados dados sobre as características no baseline, perfis psicossociais, nível de consumo de álcool antes da hepatite alcoólica, evolução e tratamento da doença e desfechos. O intervalo de abstinência alcoólica foi definido como o tempo entre a ingestão da última bebida e a data do transplante. Os desfechos primários foram sobrevida e consumo de álcool após o transplante.

cirurgia

Desfechos do transplante hepático

Perfil dos participantes:

As taxas de sobrevivência após o transplante hepático foram de 94% em 1 ano (IC de 95%: 89% a 97%) e 84% aos 3 anos (IC de 95%: 75% a 90%).

Após a alta hospitalar, 72% estavam em abstinência, 18% tiveram recaídas e 11% mantiveram o consumo de álcool. A incidência cumulativa de qualquer consumo de álcool foi de 25% em 1 ano (IC de 95%: 18% a 34%) e 34% em 3 anos (IC de 95%: 25% a 44%); a de consumo sustentado de álcool foi de 10% em 1 ano (IC de 95%: 6% a 18%) e 17% em 3 anos (IC de 95%: 10% a 27%) e foi associado com aumento do risco de morte (hazard ratio, 4,59; P = 0,01).

Na análise multivariada, apenas os pacientes mais jovens foram associadas ao consumo de álcool pós-transplante (p = 0,01).

Pelos achados, os autores concluíram que a maioria dos pacientes sobrevive por 1 (94%) a 3 anos (84%). O consumo de álcool após o tratamento não foi frequente, mas foi positivamente associado ao aumento da mortalidade. Esses resultados apoiam o uso seletivo de transplante hepático como tratamento para a hepatite alcoólica grave.

Tenha em mãos informações objetivas e rápidas sobre práticas médicas. Baixe o Whitebook.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências:

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe o Whitebook Tenha o melhor suporte
na sua tomada de decisão.

Especialidades