Tratamento sem hormônios para aliviar sintomas da menopausa é eficaz, aponta estudo - PEBMED

Tratamento sem hormônios para aliviar sintomas da menopausa é eficaz, aponta estudo

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Uma tratamento sem hormônios para ondas de calor e outros sintomas associados à menopausa foi considerada eficaz, apontou o estudo randomizado VESTA de fase 2b, publicado recentemente na Revista Menopause.

Trezentos e cinquenta e duas mulheres participaram da pesquisa. Elas foram divididas em grupos para uma avaliação de 12 semanas. Mais de 80% que tomaram fezolinetante oral, em comparação ao placebo, relataram uma redução dos sintomas.

Leia também: Período pós-menopausa pode estar relacionado a maior risco de Alzheimer?

Mulher em tratamento sem hormônios para sintomas da menopausa

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas

Como foi realizado o estudo

Alterações da linha de base em questionários de qualidade de vida específicos da menopausa, escala de interferência diária relacionada a ondas de calor e escala climatérica de Greene (PRO) foram conduzidas pelos pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos, usando um modelo misto para medições repetidas e comparadas post hoc com diferenças minimamente importantes publicadas (MIDs).

Os efeitos adversos citados foram náusea, diarreia, fadiga, infecção urinária, infecções respiratórias, sinusite, cefaleia e tosse, independentemente da dose. Não houve efeitos adversos graves.

O fezolinetante oral foi associado a maiores taxas de resposta do que o placebo e maiores melhorias na QV e outras medidas PRO, incluindo uma redução na interferência relacionada com VMS na vida diária.

Mais de 80% das voluntárias que ingeriram fezolinetante oral, em comparação ao placebo, relataram uma redução dos sintomas.

Indicações e limitações

Para o endocrinologista Ricardo Meireilles, presidente da Comissão de Comunicação da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), a terapia alternativa ao estrogênio deve ser tratada como promissora. no entanto, pode não atender a outras queixas comuns à menopausa.

“Esse medicamento será especialmente útil para mulheres que não possam fazer terapia hormonal e que se queixam de fogachos e insônia. Para as que podem tomar hormônios, esses são os medicamentos ideais porque não apenas melhoram esses sintomas como tratam o ressecamento vaginal e de pele, como a osteoporose muitas vezes existente”, explica o especialista da SBEM.

Saiba mais: Menopausa, redução de hormônios femininos e insuficiência cardíaca: qual a relação?

Tratamento indicado

Por enquanto, o ideal nas mulheres é o uso dos mesmos hormônios produzidos pelos ovários durante a vida fértil: 17 beta estradiol e progesterona, segundo explica Ricardo Meireilles.

“Temos o primeiro sob a forma de gel, adesivos e comprimidos e a progesterona micronizada, que é absorvida por via oral, comercializada em cápsulas gelatinosas. Em raras mulheres podem ser úteis os progestágenos sintéticos, que além dos efeitos progestogênios, podem ter efeitos androgênicos e antiandrogênicos”.

Para os médicos

O endocrinologista frisa que toda consulta médica deve incluir a pesquisa de sintomas por aparelhos e sistemas orgânicos e os diagnósticos dessas queixas, para tratamento adequado.

“É importante um exame físico detalhado, examinando as mamas, em busca de nódulos ou outras alterações, como descarga papilar. Os exames complementares mais importantes são a mamografia, ultrassonografia mamária e transvaginal, para avaliação do endométrio”, diz Ricardo Meireilles.

Muitas mulheres apresentam queixas relacionadas à menopausa e sofrem sem procurar o médico. Às vezes tomam o medicamento usado pela amiga, que nem sempre é o melhor para ela.

“Portanto, todo tratamento deve ser orientado pelo médico, de modo a impedir erros, que podem ter consequências graves, e deve ser individualizado para cada mulher”, conclui o especialista da SBEM.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • Santoro N, et al. Effect of the neurokinin 3 receptor antagonist fezolinetant on patient-reported outcomes in postmenopausal women with vasomotor symptoms. Menopause. 2020 August 03; Volume Publish Ahead of Print. doi: 10.1097/GME.0000000000001621

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar