Pebmed

Cadastre-se grátis
Home / Cardiologia / Tromboembolismo venoso: conheça atualizações da nova diretriz

Tromboembolismo venoso: conheça atualizações da nova diretriz

Tempo de leitura: 2 minutos.

O tromboembolismo venoso (TEV) inclui as tromboses venosas profundas e a embolia pulmonar. É uma das complicações mais frequentes, porém preveníveis, da internação. A Sociedade Americana de Hematologia publicou recentemente novas diretrizes sobre a profilaxia de TEV nos pacientes com internação clínica e trouxemos para você as novidades.

A diretriz recomenda profilaxia com heparina de baixo peso molecular (HBPM) ou foundaparinux, sendo a heparina comum uma opção apenas quando as outras não estiverem disponíveis. A profilaxia mecânica, com compressor pneumático, está reservada para os casos com contraindicação ao anticoagulante profilático. Por outro lado, a diretriz considera os estudos com NOAC ainda insuficientes para recomendaram seu uso profilático fora do contexto cirúrgico.

Leia mais: AAS é eficaz na prevenção de tromboembolismo venoso?

Um aspecto que chamou a atenção na diretriz é a citação de dois escores para estimar o risco de TVP: Padua e IMPROVE, mas não recomenda seu uso, pois não haveria ainda estudos mostrando que isso traz melhor prognóstico. Essa posição é diferente da famosa diretriz do American College of Chest Physicians (ACCP), que recomenda o escore de Padua e indica a profilaxia de TEV apenas nos pacientes de risco moderado a alto.

Escore Padua

Mobilidade reduzida 3
Câncer 3
TVP prévia (exclui tromboflebite superficial) 3
Trombofilia 3
Trauma ou cirurgia há < 1 mês 2
Idade > 70 anos 1
Insuficiência cardíaca e/ou respiratória 1
IAM ou AVC agudo 1
Em tratamento hormonal 1
IMC > 30 kg/m² 1
Doença infecciosa ou reumática aguda 1
  • Baixo risco (0-3): não indica profilaxia
  • Moderado a alto risco (≥4): HBPM

Escore IMPROVE para risco de TEV

TVP prévia 3
Trombofilia 2
Paralisia/plegia MMII 2
Câncer 2
Imobilização ≥ 7 dias 1
Idade ≥ 60 anos 1
Internação terapia intensiva 1
  • Baixo risco (0-1): não indica profilaxia
  • Moderado a alto risco (≥2): HBPM

Escore IMPROVE para risco de sangramento

Taxa filtração glomerular estimada 30-59 ml/min/m² 1
Sexo masculino 1
Idade 40-80 anos 1,5
Câncer 2
Doença reumática ativa 2
Cateter venoso profundo 2
Internação terapia intensiva 2,5
Taxa filtração glomerular estimada < 30 ml/min/m² 2,5
Insuficiência hepática com INR ≥ 1,5 2,5
Idade ≥ 85 anos 3,5
Plaquetas < 50 mil/mm³ 4
História de sangramento nos últimos 3 meses 4
Úlcera péptica ativa 4,5
  • Baixo risco (<7): profilaxia farmacológica
  • Alto risco (≥7): profilaxia mecânica

Outras recomendações:

  • Não há indicação de profilaxia farmacológica no paciente acamado crônico, sem doença aguda, que esteja em casa ou institucionalizado.
  • Pacientes que vão viajar sentados por mais de 4 horas, há indicação de profilaxia farmacológica ou mecânica se houver:
    • Cirurgia recente
    • TEV prévio
    • Puerpério
    • Câncer em tratamento ou paliativo
    • ≥ 2 fatores de risco: gravidez, obesidade, uso reposição hormonal

É médico e também quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Referências:

2 comments

  1. Avatar

    Como é feita a profilaxia com cada uma das medicações indicadas?

  2. Avatar

    Paciente realizou cirurgia após fratura de quadril e teve TVP após uma semana da cirurgia, após um vôo curto (1:30h). Qual o tempo necessário para aguardar para realizar um vôo longo (maior que 15h)? Existe alguma diretriz ou paper que indique? Obrigada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.