Tumor benigno de pálpebra: papiloma de células escamosas

A diversidade de tumores cutâneos é grande e vai desde papilomas comuns e basocelulares até tumores mais raros de anexos cutâneos e tecidos moles da derme.

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

A pele, incluindo a da região palpebral, consiste em epiderme, derme e anexos cutâneos, abrangendo uma grande variedade de tipos de células capazes de proliferar-se e sofrer transformações neoplásicas. A diversidade de tumores cutâneos é, portanto, muito grande e vai desde papilomas comuns e carcinomas de células basais (basocelulares) até tumores mais raros de anexos cutâneos e tecidos moles da derme. Tanto os tumores benignos quanto os malignos são classificados de acordo com a sua célula de origem, bem como a sua localização na epiderme, na derme ou em um dos anexos.

As lesões cutâneas benignas são muito mais variadas e comuns do que as malignas. As características clínicas são ausência de endurecimento e ulceração, cor uniforme, crescimento limitado, contorno regular e preservação das estruturas normais da margem palpebral. Na grande maioria dos casos, o diagnóstico é direto, embora eventualmente possa ser necessária uma biópsia se a aparência for incomum.

LEIA TAMBÉM: Catarata senil – uma breve revisão

No Brasil, estima-se que os tumores palpebrais representem cerca de 16 mil casos ao ano, segundo o Ministério da Saúde. O papiloma de células escamosas (pólipo fibroepitelial), tumor epidérmico, é a afecção tumoral palpebral benigna mais comum. Na maioria dos casos, o papiloma palpebral é causado pelo HPV (vírus papiloma humano), sendo mais comuns o subtipo HPV-1 e HPV-2. Tem uma aparência clínica variável, contudo, apresenta características histológicas comuns.

A histologia mostra projeções digitiformes de tecido conjuntivo fibrovascular cobertas por epitélio escamosos irregular, com acantose e hiperacantose. Clinicamente a lesão pode se apresentar de três maneiras: uma lesão pedunculada, de base estreita e de cor de pele; uma lesão de base ampla (séssil), que pode exibir uma superfície semelhante a framboesa; ou uma lesão filiforme com hiperceratose semelhante a um corno cutâneo.

O diagnóstico diferencial inclui verrugas virais, ceratose seborreica e nevo intradérmico. O tratamento consiste na ressecção simples da lesão.

É médico e também quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão

Especialidades