Uso da metformina durante a gravidez e o desenvolvimento neurológico da prole

Como a metformina atravessa a barreira placentária, há preocupações sobre possíveis alterações a longo prazo para crianças expostas.

A metformina é um antidiabético oral, que vem sendo usado desde os anos 70 como tratamento para gestantes com diabetes. Alguns estudos prévios demonstraram que seu uso parece melhorar o controle metabólico dessas mulheres e a droga não parece ter efeito deletério para prole a curto prazo. Entretanto, como a metformina atravessa a barreira placentária, há preocupações se poderia trazer alterações a longo prazo para essas crianças expostas. 

Como esses dados, ainda são incertos na literatura, um grupo de autores australianos desenvolveram e publicaram recentemente uma revisão sistemática e metanálise no American Journal of Obstetrics and Gynecology. 

O objetivo do estudo foi investigar a associação entre exposição à metformina na gravidez e alteração do desenvolvimento neurológico (cognitivo e motor) na prole, em comparação com crianças não expostas. 

Gravidez

Metodologia 

Trata-se de uma revisão sistemática, cuja busca identificou artigos publicados até 1 de julho de 2023. Os estudos foram elegíveis se incluíam mulheres recebendo metformina em qualquer fase da gravidez para qualquer indicação e demonstrou acompanhamento do neurodesenvolvimento dos seus filhos. 

Foram considerados os seguintes resultados do neurodesenvolvimento:

1) Inteligência, conforme definida por avaliações validadas de Quociente de Inteligência (QI);

2) Motora, resultados cognitivos e verbais, conforme definidos por ferramentas validadas previamente. 

Resultados 

A busca identificou 5.958 estudos. Destes, 36 foram revisados em texto completo e sete incluídos na revisão. Cumulativamente, eles relataram resultados de 14.042 crianças, incluindo 7.641 expostas à metformina durante a gravidez. Dos estudos incluídos, cinco eram estudos de acompanhamento de ensaios clínicos randomizados e dois foram estudos observacionais de coorte.  

O uso de metformina na gravidez não foi associado com atraso no desenvolvimento neurológico na infância (RR 1,09; IC 95% 0,54–2,17; 3 estudos; 9.668 crianças) ou entre 3 e 5 anos (RR 0,90 (IC95% 0,56–1,45); 2 estudos; 6.118 crianças). Quando comparado com crianças não expostas, o uso de metformina na gravidez não foi associado a escores motores (diferença média 0,30 (IC95% -1,15–1,74); 3 estudos; 714 crianças) ou cognitivos alterados (diferença média -0,45 (IC95% -1,45–0,56); 4 estudos; 734 crianças). Os estudos incluídos eram de alta qualidade e considerados de baixo risco de viés. 

Leia também: Podemos usar metformina no diabetes gestacional?

Conclusões e mensagens práticas

Essa revisão sistemática não mostrou associação entre o uso de metformina durante a gravidez e desfechos adversos no neurodesenvolvimento cognitivo e motor de crianças expostas intrauterp.  

O trabalho reforça o conhecimento científico atual sobre a segurança à longo prazo do uso da metformina durante a gravidez como auxiliar no controle glicêmico de mulheres diabéticas. Entretanto, seu uso nessas situações continuam sendo off-label pelas agências reguladoras. 

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe o Whitebook Tenha o melhor suporte
na sua tomada de decisão.
Referências bibliográficas: Ícone de seta para baixo
  • Gordon HG, Atkinson JA, Tong S, Mehdipour P, Cluver C, Walker SP, Lindquist AC, Hastie RM. Metformin in pregnancy and childhood neurodevelopmental outcomes: a systematic review and meta-analysis. Am J Obstet Gynecol. 2024 Mar 7:S0002-9378(24)00430-7. doi: 10.1016/j.ajog.2024.02.316. Epub ahead of print. PMID: 38460832.