Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Colunistas / Uso da pupilometria em pacientes neurocríticos

Uso da pupilometria em pacientes neurocríticos

Esse conteúdo é exclusivo para
médicos.

Para ter acesso, identifique-se através do login ou cadastre-se gratuitamente!

Para o manejo e o prognóstico de pacientes com lesão cerebral aguda, o reflexo fotomotor é um exame importante em conjunto com outras informações clínicas, como Escala de Coma de Glasgow (GCS) em unidades de neurointensivas.

Alterações no tamanho e na reatividade pupilar podem fornecer informações importantes para a deterioração neurológica, pressão intracraniana elevada e hérnia cerebral.

Pupilometria

O exame pupilar manual é suscetível a imprecisões relacionadas à grande variabilidade interexaminadores. Por outro lado, o pupilômetro automatizado fornece informações objetivas e quantitativas sobre a resposta pupilar à luz na forma do valor de um índice, o “Neurologic Pupil Index” (NPi), que é derivado de um algoritmo que inclui tamanho da pupila, latência, velocidade de constrição e dilatação.

O pupilômetro é um scanner óptico manual, que estimula o olho com um flash de luz, captura e analisa uma sequência rápida de imagens digitais para obter uma medida temporal do diâmetro de uma pupila. Ele analisa os dados da imagem capturada e exibe um resumo das medições. O algoritmo NPi foi desenvolvido para quantificar a reatividade pupilar e remover a subjetividade dessa avaliação. Alguns estudos relataram que as alterações no NPi refletem aumentos na pressão intracraniana com aproximadamente 16 horas de antecedência.

Mais do autor: Quais os fármacos mais eficazes para tratamento do status epilepticus?

Pacientes neurocríticos

A pupilometria automatizada pode servir como uma ferramenta útil para a medição precisa da reatividade pupilar nos pacientes neurocríticos, fornecer informações prognósticas, além de gravar um registro de data e hora mais preciso dessas medições e reduzir o tempo de intervenção.

Todos os estudos realizados incluíram pequenas amostras. São necessários mais dados sobre o uso da pupilometria automatizada em pacientes neurocríticos. Há também uma escassez de dados sobre os efeitos dos medicamentos na medida pupilométrica em pacientes nas UTIs. Futuros estudos em larga escala ajudarão a determinar a praticidade do uso rotineiro da pupilometria automatizada em pacientes neurocríticos.

Autor:

Referências bibliográficas:

  • Chen JW, Vakil-Gilani K, Williamson KL, Cecil S. Infrared pupillometry, the Neurological Pupil index and unilateral pupillary dilation after traumatic brain injury : implications for treatment paradigms. Springerplus. 2014;3:548
  • Larson MD, Muhiudeen I. Pupillometric analysis of the ‘absent light reflex’. Arch Neurol. 1995;52:369–372
  • Sahar F. Zafar, MD , Jose I. Suarez, MD. Automated pupillometer for monitoring the critically ill patient: A critical appraisal. Journal of Critical Care. 2014
  • F. Martínez-Ricarte. Infrared pupillometry. Basic principles and their application in the non-invasive monitoring of neurocritical patients. Neurología. 2013;28(1):41—51

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.