Uso de luvas estéreis: estudo avalia a importância

Revisão comparou o uso de luva estéril, com luvas não estéreis em pequenos procedimentos, na emergência ou na atenção primária

O uso de luvas estéreis é o padrão utilizado em qualquer procedimento cirúrgico, seja ele de pequeno ou grande porte. A noção de assepsia e antissepsia, junto com o entendimento da anestesia, foi um dos pilares da medicina moderna que proporcionou uma grande evolução cirúrgica.

Leia também: Troca de luva estéril e instrumental cirúrgico para prevenção de infecção de sítio

Um trabalho apresentado no JAMA Surgery começa a questionar esse dogma, se realmente devemos implementar o uso de luva estéril, ou podemos utilizar apenas luvas limpas.

Uso de luvas estéreis

Métodos

Uma revisão sistemática que buscou ensaios clínicos randomizados que compararam o uso de luva estéril, com luvas não estéreis em pequenos procedimentos, na emergência ou na atenção primária. O desfecho avaliado foi a presença de infecção no sítio cirúrgico, e os desfechos secundários dos custos e resultados estéticos.

Resultados

Após o escrutínio foram selecionados seis ensaios clínicos randomizados que perfizeram um total de 6.182 pacientes alocados no grupo intervenção (luva estéril) e não intervenção (luva não estéril). Em ambos os grupos se utilizava antissepsia com desinfetantes na pele e instrumental esterilizado em ambos os grupos. Dos seis estudos, quatro estudos apresentaram dados que puderam ser comparados em relação ao desfecho primário, com o uso de luva estéril apresentando um risco relativo de 1,17 (IC 0,89-1,55; p=0,26). Dois dos estudos compararam o preço da luva não estéril, com a luva estéril e concluíram que o uso da luva não estéril é custo efetivo no reparo de pequenas lacerações.

Discussão

O uso de luva estéril continua sendo a opção ideal para o tratamento de lacerações e pequenos procedimentos que necessitem ser realizados. É importante considerar que o uso de luvas não estéreis pode ser uma alternativa custo efetiva no tratamento de pequenas feridas. Além disso, a produção da luva estéril gasta um maior aporte de energia, sendo menos favorável para o ambiente.

Saiba mais: A utilização de duas luvas cirúrgicas é necessária em cirurgias artroscópicas?

Para levar para casa

Este estudo identificou que o número de infecções de sítio cirúrgico é parecido em ambos os grupos, e realmente acredito que isso possa ser verdade. A pele possui um excelente mecanismo de defesa e pequenas quebras da barreira asséptica talvez não sejam suficientes para gerar uma infecção.

No entanto, devemos lembrar que não é apenas para impedir a infecção de sítio cirúrgico que devemos possuir materiais e luvas estéreis. Infecções cruzadas, especialmente virais, podem ocorrer com luvas ditas como limpas. As “luvas de procedimento” podem facilmente ser contaminadas ao serem pegas, visto que não são acondicionadas uma a uma.

Nem sempre o fator custo pode ser o único fator decisivo para mudarmos nossa conduta.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe o Whitebook Tenha o melhor suporte
na sua tomada de decisão.
Referências bibliográficas: Ícone de seta para baixo
  • Hamam Y, Ayesh H, Asad D, et al. Sterile vs Nonsterile Gloves for the Repair of Wounds and Lacerations: A Systematic Review and Meta-Analysis. JAMA Surg. 2024;159(2):225-227. DOI:10.1001/jamasurg.2023.5814