Cirurgia

Uso de videolaringoscópio não somente para intubação traqueal

Tempo de leitura: 3 min.

Sabe-se que o avanço da tecnologia vem facilitando os profissionais de diversas áreas a trabalharem com maior segurança e facilidade em todas as profissões, e na medicina, esses avanços também vêm contribuindo para que os profissionais da área de saúde possam melhorar suas técnicas e condutas práticas. O surgimento do videolaringoscópio contribuiu de forma significativa para que os procedimentos de intubação traqueal, principalmente em vias aéreas difíceis, fossem realizados com muito mais precisão, facilidade e segurança, diminuindo assim, as complicações oriundas dessa técnica. E por conta disso, o seu uso se propagou e se popularizou de forma rápida.

Atualmente com o surgimento da Covid-19 o seu uso também ficou bastante popularizado, uma vez que permite uma intubação segura, com riscos mínimos de contaminação dos profissionais.

Leia também: Intubação em pacientes críticos: a importância do uso de guias para facilitar o processo

O videolaringoscópio

Existem vários modelos de videolaringoscópio, mas de uma forma geral, consiste em um instrumento formado por um laringoscópio acoplado a uma câmera que proporciona uma visualização direta, por imagem, das vias aéreas superiores e do trajeto do tubo traqueal durante todo o procedimento de intubação. Promove a perfeita visualização da glote, que é a estrutura visualmente mais importante para que uma intubação traqueal seja realizada com sucesso. Foi originalmente criado para uso em pacientes com vias aéreas difíceis, como um excelente facilitador, porém ganhou notoriedade e hoje é usado de forma rotineira na prática clínica, não somente no ambiente cirúrgico, mas também nas salas de trauma, em ambulâncias e unidades de terapia intensiva.

O videolaringoscópio fornece ângulos bem maiores de visualização da cavidade oral e das vias aéreas do que os laringoscópios comuns, além de simultaneamente rebater os tecidos moles que porventura podem atrapalhar a visualização da região, principalmente onde a anatomia não é favorável. Os laringoscópios normais precisam de um alinhamento dos três eixos (oral, faringeal e laringeal) para que se possa ter uma posição favorável para visualização da glote, o videolaringoscópio não necessita desse posicionamento, o que facilita a intubação em situações adversas com o imobilização cervical e até em mãos de profissionais menos experientes.

Saiba mais: Videolaringoscopia no atendimento pré-hospitalar: seria essa uma nova realidade?

Com a sua expansão na prática médica, vários estudos foram realizados com a intenção de fornecer novas utilidades para o uso do videolaringoscópio, partindo para outros campos de atuação, não somente o da intubação traqueal, uma vez que esse aparelho pequeno, simples e portátil fornece imagens das vias aéreas de forma efetiva.

Aplicações

Além do uso rotineiro original do videolaringoscópio como intubação traqueal, intubação nasotraqueal, intubação acordado, intubação em pacientes com Covid-19, alguns estudos demonstraram diversas outras funções onde ele também pode ser aplicado. Entre elas:

  1. Controle dos movimentos das cordas vocais após cirurgia de tireoide.
  2. Remoção de corpos estranhos.
  3. Injeção de medicações em corda vocal.
  4. Inserção de probes ecocardiográficos intraesofagianos.
  5. Diagnóstico e gravação de patologias de vias aéreas superiores.
  6. Auxílio na dilatação esofagiana.
  7. Auxílio na troca do tubo traqueal.
  8. Inserção ou reposicionamento de sondas.

A única contraindicação absoluta do uso desse aparelho é em casos onde há dificuldade do paciente em abrir a boca suficiente para se introduzir a lâmina.

Muitos centros estão instituindo o videolaringoscópio como ferramenta primária para intubação traqueal, porém infelizmente, apesar das múltiplas qualidades e funções desse aparelho, nem todos os centros têm disponibilidade do seu uso, devido a motivos financeiros.

Referências bibliográficas:

  • Araz C, Kayhan Z. Videolaryngoscopes: not only for endotracheal intubation. Brazilian Journal of Anesthesiology. 2021;71(6):672-673. doi: 10.1016/j.bjane.2021.07.024.
  • Goranović T. IntechOpen, Special Considerations in Human Airway Managements Videolaryngoscopy, the Current Role in Airway Management. Special Considerations in Human Airway Managements; 2020.
Compartilhar
Publicado por
Gabriela Queiroz

Posts recentes

Whitebook – Doença da Arranhadura do Gato (DAG)

A DAG é desenvolvida pelo contato da pele humana com as unhas ou a língua…

8 horas atrás

Vaginose bacteriana: como identificar e abordar essa condição?

A vaginose bacteriana (VB) é a causa mais comum de corrimento vaginal em mulheres na…

1 dia atrás

Mais de 30 conteúdos novos no Whitebook; confira

Esta semana, o Whitebook ganhou 33 conteúdos novos. Além disso, 170 foram atualizados. Veja os…

1 dia atrás

Explorando emoções e percepções do paciente

Na terceira publicação da série Comunicação Médica, abordamos a importância da valorização das emoções na…

1 dia atrás

Informe-se sobre o piso salarial da enfermagem

A lei 14.434 institui o piso salarial de enfermagem, para enfermeiros, técnicos de enfermagem, auxiliares…

1 dia atrás

Hemorragia pós-parto: Quais são os fatores de risco para falha do tamponamento intrauterino?

Um trabalho revisou quais fatores poderiam facilitar a falha do tamponamento por balão em pacientes…

1 dia atrás