Tempo de leitura: 2 min.

Asma é um grande problema da saúde pública, responsável por várias internações onerando o sistema público. Na grande maioria dos casos, adultos asmáticos tiveram na infância relato de hiper-reatividade brônquica desde o início da vida. Então qualquer estratégia que tente prevenir a asma merece ser estudada e o alvo seria o período pré-natal ou a vida pós-natal precoce.

Vitamina D e asma

O objetivo do VDAART era determinar se, quando os níveis maternos de 25-hidroxivitamina D (25-OHD) fossem levados em consideração durante a gravidez seus filhos teriam menor incidência de asma e sibilância recorrente aos 6 anos de idade do que aquelas nascidas do grupo controle, com menores valores de 25-ODHD. Pois já que o objetivo é prevenir a asma persistente, para ter ideia se aquela intervenção funciona precisamos avaliar os resultados antes que as crianças tratadas atinjam a idade escolar.

O VDAART é um estudo de suplementação de vitamina D, duplo-cego, randomizado, controlado por placebo, no qual foram administradas 4.400 UI de vitamina D3 por dia ou 400 UI de vitamina D3 por dia na semana 10 a 18 da gravidez. Como critérios de inclusão a mãe ou o pai biológico precisavam ter asma, rinite alérgica ou eczema.

Para a análise de intenção de tratar na estratificação de acordo com o nível materno de vitamina D durante a gravidez, não houve efeito da suplementação no desfecho primário, que foi asma, sibilância recorrente ou ambas. Assim como na maioria dos resultados clínicos secundários pré-especificados (eczema, rinite alérgica ou infecção de trato respiratório inferior).

Leia também: Tratamento com azitromicina pode ser eficaz em crianças hospitalizadas com asma?

Resultado

O estudo foi conduzido adequadamente, portanto, o resultado deve ser considerado bastante definitivo: a suplementação de vitamina D não deve ser usada para prevenir a asma em idade escolar, o que é frequentemente associado à sensibilização aeroalérgeno.

Embora a suplementação no estudo VDAART não tenha sido eficaz na prevenção da asma em idade escolar, a suplementação de vitamina D durante a gravidez ainda pode desempenhar um papel importante na prevenção de formas menos persistentes de chiado no lactente com histórico parental de asma e alergias.

Conclusão

Se estudos futuros confirmarem o efeito preventivo da suplementação de altas doses de vitamina D na gravidez para doenças virais do trato respiratório inferior pré-escolar, poderá ser considerada a suplementação de rotina com doses mais altas do que as atualmente recomendadas.

No Whitebook você encontra as melhores condutas para asma. Baixe agora o maior aplicativo médico do Brasil!

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • Litonjua AA, et al. Six-Year Follow-up of a Trial of Antenatal Vitamin D for Asthma Reduction. The New England Journal of Medicine 2020;382(6).
Compartilhar
Publicado por
Priscilla Maris Pereira Alves Pantaleão

Posts recentes

Ondansetrona e antieméticos: Comparação entre seus tratamentos em gestantes

A ondansetrona tem sido recentemente estudada em coortes cada vez maiores, comparada com outros antieméticos.…

13 horas atrás

Whitebook: dor abdominal crônica em crianças

Em nossa publicação semanal de conteúdos do  Whitebook vamos falar sobre a apresentação clínica da…

17 horas atrás

Dia Internacional da Luta contra a Endometriose

A endometriose é uma doença ginecológica, descrita pela literatura científica como inflamatória, crônica, benigna e…

1 dia atrás

IM/ACP 2021: highlights do congresso de Medicina Interna do ACP [podcast]

Neste episódio do podcast da PEBMED, nossos médicos comentam sobre os destaques do congresso de…

1 dia atrás

Maio chegou e com ele muitas novidades no Nursebook! 

A partir de agora, o nosso app conta com uma Calculadora de Dimensionamento de Equipe…

1 dia atrás

Covid-19: novas variantes são encontradas em São Paulo e Rio de Janeiro

Novas variantes (suíça B.1.1.318 e sul-africana B.1.351) do novo coronavírus (causador da Covid-19) foram encontradas…

1 dia atrás