Cardiologia

Vale a pena parar de fumar mesmo com ganho de peso?

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

O ganho de peso após a cessação do tabagismo atenua os benefícios para a saúde de largar o cigarro? Em novo artigo do New England Journal of Medicine (NEJM), publicado em agosto, pesquisadores utilizaram três grandes coortes americanas, com mais de 150 mil homens e mulheres, para investigar essa questão.

Entre os 162.807 indivíduos analisados, os autores identificaram aqueles que relataram parar de fumar e avaliaram prospectivamente as mudanças no tabagismo e no peso corporal. Foram estimados os riscos de diabetes tipo 2, morte por doença cardiovascular e morte por qualquer causa, de acordo com as mudanças de peso após a cessação do tabagismo.

LEIA MAIS: Cessação do tabagismo – qual terapia é mais eficaz?

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas
Cadastrar Login

Cessação do tabagismo e ganho de peso

O risco de diabetes tipo 2 foi maior entre os ex-fumantes recentes (2 a 6 anos desde a cessação do tabagismo) do que entre os que ainda eram fumantes (hazard ratio [HR] 1,22; intervalo de confiança [IC] 95%: 1,12 a 1,32). Esse risco atingiu o pico de 5 a 7 anos após a cessação e, em seguida, diminuiu gradualmente. O aumento temporário foi diretamente proporcional ao ganho de peso, e o risco não foi maior entre os ex-fumantes que não engordaram (P < 0,001 para interação).

Por outro lado, os ex-fumantes não tiveram um aumento temporário na mortalidade, independentemente da mudança de peso. Em comparação com os fumantes atuais, as razões de risco de morte por doença cardiovascular foram:

  • 0,69 (IC 95%: 0,54 a 0,88) entre os que pararam de fumar recentemente, sem ganho de peso;
  • 0,47 (IC 95%: 0,35 a 0,63) entre aqueles com ganho de 0,1 a 5,0 kg;
  • 0,25 (IC 95%: 0,15 a 0,42) entre aqueles com ganho de peso de 5,1 a 10,0 kg;
  • 0,33 (IC 95%: 0,18 a 0,60) entre aqueles com ganho de peso superior a 10,0 kg;
  • 0,50 (IC 95%: 0,46 a 0,55) entre os ex-fumantes a longo prazo (> 6 anos desde a cessação do tabagismo).

Associações semelhantes foram observadas para morte por qualquer causa.

Pelos achados, os pesquisadores concluíram que a cessação do tabagismo acompanhada por um ganho de peso substancial foi associada a um aumento do risco a curto prazo de diabetes tipo 2, mas não atenuou os benefícios de parar de fumar na redução da mortalidade por doença cardiovascular e por todas as causas.

LEIA MAIS: Fumar aumenta o risco de fibrilação atrial?

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências:

  • Hu et al. Smoking Cessation, Weight Change, Type 2 Diabetes, and Mortality. August 16, 2018. N Engl J Med 2018; 379:623-632. DOI: 10.1056/NEJMoa1803626
Compartilhar
Publicado por
Vanessa Thees

Posts recentes

Nova classificação para complicações relacionadas a cirurgias de retina

O descolamento de retina regmatogênico (DRR) é a emergência relacionada à retina mais comum e…

2 horas atrás

Superinfecção bacteriana em pacientes com pneumonia grave por Covid-19

A real incidência e impacto das complicações por infecção badcteriana nos pacientes intubados por formas…

3 horas atrás

Aumento de casos de puberdade precoce tem relação com a pandemia?

O crescimento incomum da puberdade precoce foi identificado por pesquisadores ao compararem os números de…

5 horas atrás

Intubação na escassez de sedativo: quais as alternativas medicamentosas? [podcast]

Neste episódio, o Dr. Filipe Amado falará sobre como realizar intubação no cenário de escassez…

19 horas atrás

Diagnóstico de mieloma múltiplo: o papel dos exames de imagem

O mieloma múltiplo (MM) é uma neoplasia hematológica que resulta da proliferação clonal de plasmócitos…

20 horas atrás

5 mnemônicos para salvar o plantão

Os mnemônicos, que já são consagrados como estratégia de estudo, também podem nos ajudar na…

21 horas atrás