Valsartana e losartana sofrem recall por conterem substâncias carcinogênicas

Alguns lotes de anti-hipertensivos foram retirados do mercado após testes constatarem altos níveis de NDEA, componente químico presente na fumaça do cigarro. Saiba mais:

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

Após a hidroclorotiazida (HCTZ) ser colocado sob alerta, pois seu uso prolongado pode aumentar o risco no desenvolvimento do câncer de pele, outros medicamentos anti-hipertensivos estão sob suspeita de conter sustâncias carcinogênicas. A Food and Drugs Administration (FDA) emitiu um comunicado no começo de janeiro que alerta pacientes e centros médicos acerca de fármacos com altos níveis de N-Nitrosodietilamina (NDEA), componente químico classificado como nitrosamina e comumente presente na fumaça do cigarro.

Entre os medicamentos identificados com alto nível de NDEA estão os bloqueadores de receptores da angiotensina (BRA), como a losartana, e a valsartana em combinação com a amlodipina, além da irbesartana. Os fabricantes Torrent Pharmaceuticals e Aurobindo Pharma realizaram recall de seus fármacos.

De acordo com o relatório da FDA, a Torrent retirou do mercado 10 lotes de losartana suspeitos de conter níveis maiores do que 0,27 partes por milhão da substância carcinogênica. Já a Aurobindo solicitou a devolução de dois lotes de amlodipina + valsartana e 52 lotes de valsartana e hidroclorotiazida também devido aos alto níveis de NDEA; no entanto, a fabricante recolheu apenas os fármacos combinados com valsartana, os produtos com somente a HCTZ  ou a amlodipina como composto ativo não sofreram recall. Ainda segundo o comunicado da FDA, os testes realizados constaram que os medicamentos continham concentração de NDEA acima do aceitável pela agência, os níveis da sustância carcinogênica eram superiores a 0,083 partes por milhão.

Leia mais: Hidroclorotiazida pode causar câncer de pele; devemos suspender o uso?

Entretanto, a FDA recomenda aos pacientes sob terapia com algum dos bloqueadores de receptores da angiotensina que não interrompam o tratamento até que o médico prescreva uma medicação diferente ou providencie um substituto que trate da mesma doença. No Brasil, até o momento a Anvisa se manifestou apenas sobre a utilização da hidroclorotiazida.

Tenha em mãos informações objetivas e rápidas sobre práticas médicas. Baixe o Whitebook

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências:

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão

Tags