Jornadas de Enfermagem

Vivências como enfermeira por Liziane Linares [Jornadas de Enfermagem]

Tempo de leitura: 2 min.

Decidi ser enfermeira por volta dos 12 anos, era uma criança asmática que morava em uma cidade que nem asfalto tinha, então imaginem minhas idas e vindas ao hospital.

Sempre que chegava era atendida pelo médico de uma maneira bem formal, mas quando o atendimento com ele acabava e era passado para a turma da enfermagem o clima mudava e os procedimentos mesmo que dolorosos eram feitos com carinho e atenção, rolava até uma brincadeira aqui e ali.

Até que um dia após sair do hospital. Parei, pensei e decidi que iria fazer “isto” da minha vida e meu pai disse “isto o quê filha”? e eu respondi vou ser enfermeira pai, e ele orgulhoso respondeu “que legal você vai ser da área da saúde, vai cuidar de gente”.

Leia também: Retrospectiva 2021 de enfermagem: Vamos rever os temas mais marcantes abordados esse ano?

O caminho

Enfim os anos passaram eu cresci e fui para a faculdade de enfermagem, nesta época me lembro de muitos me perguntarem porque não a medicina e eu prontamente respondia porque escolhi ser enfermeira. Cursei a faculdade, me casei e fui morar no Rio de Janeiro, lá fiz minha primeira especialização em pediatria (claro) e entrei de vez nesta área, trabalhei em um hospital particular por quatro anos e meio até ser convocada para o concurso federal que havia passado a anos atrás assim que cheguei ao Rio.

Decidi neste meio tempo ter a experiência de ensinar e para isto um mestrado foi necessário, mas meu maior encantamento era o contato com o público e o público pediátrico, sim não curto atender adulto, amo a pediatria e a hematologia pediátrica por isto escrevi o bloco de hematologia do nursebook, quem me conhece sabe o tamanho da minha dedicação por este público.

Saiba mais: Enfermagem: piso salarial nacional é aprovado por unanimidade no Senado segue para a Câmara

Agradeço a Deus pela oportunidade de exercer um trabalho que me aproxima dele, porque trabalhar com o ser humano em seus momentos de fraqueza não é para qualquer um, ali consigo ver e sentir que não somos nada e nem melhor do que ninguém, muito pelo contrário que somos todos iguais.

Espero que você, futuro profissional da enfermagem, exerça sua profissão com humanidade, pensando que está cuidado de quem você ama e quer bem, espero também que você possa ser reconhecido e que seja devidamente recompensado pelo seu trabalho.

Que muitas oportunidades surjam em sua vida profissional.

Compartilhar
Publicado por
Liziane Barros

Posts recentes

Suplementos Alimentares no Idoso: pontos de atenção

Os idosos são um grupo de atenção quando o assunto é suplementos alimentares. Saiba mais…

3 horas atrás

Morte encefálica: faz sentido um anestesista em uma cirurgia para doação de órgãos?

A anestesia é usada para amenizar a resposta fisiológica resultante da morte encefálica e otimizar…

4 horas atrás

Você conhece a sequência atrasada de IOT? [podcast]

Neste episódio, o intensivista Vinicius Zofoli conversa sobre a realização da sequência atrasada de intubação…

5 horas atrás

SUS: Sancionada lei que amplia prevenção de câncer em mulheres

Foi sancionada a lei que amplia a prevenção, a detecção e tratamento de diferentes tipos…

6 horas atrás

O escore MELD sódio deve ser ajustado por sexo?

Um estudo avaliou os parâmetros laboratoriais do escore MELD de forma a propor um ajuste…

7 horas atrás

Uso de LOLA no tratamento de encefalopatia hepática aguda grave

A encefalopatia hepática é uma disfunção do sistema nervoso central causada por insuficiência hepática e/ou…

8 horas atrás