Você lava as mãos quando ninguém está olhando?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

250-BANNER6Médicos e enfermeiros estão mais propensos a seguir as orientações de higienização das mãos quando sabem que estão sendo observados, sugere um novo estudo publicado no Journal of Hospital Medicine. E você? Lava as mãos corretamente todos os dias?

A recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) é que profissionais de saúde lavem as mãos antes e depois de tocar um paciente ou seus arredores; antes de qualquer procedimento; e se entrar em contato com fluídos corporais.

Para determinar se e como um fenômeno chamado efeito Hawthorne – em que indivíduos alteram seu comportamento quando sabem que estão sendo observados – influencia no comportamento de higiene das mãos nos hospitais, pesquisadores compararam as taxas de adesão, medidos por observadores secretos e auditores evidentes, durante um período de 2 meses.

Outros cuidados: Bactéria pode ser transferida da luva para as superfícies

Dos momentos de higienização observados secretamente durante rotações clínicas em hospitais, apenas metade estava em conformidade com as orientações. Já nos momentos observados pelos auditores, o cumprimento das orientações ficou em 83%. Entre os médicos, os resultados foram 54% e 73%, respectivamente. Entre os enfermeiros, a diferença foi ainda maior: 45% e 85%, respectivamente.

Quando avaliados pelo timing e cenário clínico, as observações secretas mostraram que:

  • 43% lavaram as mãos antes do contato com o paciente ou ambiente do paciente;
  • 74% antes de procedimentos limpos / assépticos;
  • 35% após a exposição potencial a fluído corporal;
  • 57% após o contato com o paciente ou ambiente do paciente;
  • 75% ao examinar pacientes com precauções de isolamento;
  • 47% na ausência de precauções de isolamento.

ban

O estudo sugere um comportamento de auto-preservação como motivação. A higienização das mãos foi mais frequente após o contato com o paciente ou ao ver pacientes que necessitaram de precauções adicionais. A percepção do risco parece ser um poderoso motivador.

Os dados indicam que todos os trabalhadores na área de saúde tem muito a percorrer no que diz respeito à higiene das mãos. Sistemas de monitoramento mais precisos e treinamento podem ajudar a preencher a lacuna entre a higiene das mãos recomendada e o que está realmente sendo praticado nos hospitais.

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique Aqui!

Referências: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/jhm.2632/abstract

 

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar