Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Cirurgia / Você sabe fazer uma hepatectomia laparoscópica?
colangite autoimune

Você sabe fazer uma hepatectomia laparoscópica?

Acesse para ver o conteúdo
Esse conteúdo é exclusivo para usuários do Portal PEBMED.

Para continuar lendo, faça seu login ou inscreva-se gratuitamente.

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

Tempo de leitura: < 1 minutos.

O campo da ressecção laparoscópica do fígado evoluiu rapidamente nos últimos 15 anos. O número de ressecções hepáticas laparoscópicas dobrou nos últimos 4 anos de cerca de 3000 casos em todo o mundo em 2009 para mais de 6000 casos hoje. Técnicas melhoraram, alcançando novos horizontes.

Os primeiros casos relatados foram predominantemente ressecções hepáticas não anatômicas, mas a maior experiência acumulada levou a realização de hepatectomias anatômicas maiores.

As técnicas cirúrgicas para hepatectomia laparoscópica incluem laparoscópica pura, laparoscópica assistida manualmente, robótica e “híbrido”. Esta última é uma abordagem para as quais a operação é iniciada por via laparoscópica sendo completada através de uma pequena incisão aberta.

Os benefícios da ressecção laparoscópica incluem incisões menores, menos sangramento e transfusões, diminuição das necessidades de analgésicos, menor tempo de internação hospitalar e diminuição da morbidade pós-operatória.

Veja também: ‘Colecistite aguda alitiásica: como identificar e tratar?’

A primeira Conferência Internacional de Consenso sobre Ressecção Laparoscópica do Fígado foi realizada em 2008. Naquela ocasião as indicações aceitáveis, ​​para ressecções laparoscópicas, incluíam tumores solitários <5 cm, preferencialmente localizados nos segmentos laterais esquerdos (Segmentos 2 e 3) ou nos segmentos hepáticos mais periféricos do lobo direito (Segmentos 5 e 6).

A Segunda Conferência Internacional de Consenso sobre Ressecção Laparoscópica do Fígado, em outubro de 2014 em Morioka, Japão, atualizou as recomendações de consenso usando uma abordagem baseada em evidências.

Os medos iniciais de resultados oncológicos adversos não foram observados, e muitos estudos relataram uma sobrevida global de 5 anos comparável para ressecção laparoscópica com ressecção aberta.

A Segmentectomia lateral esquerda foi identificada como uma operação que deve ser considerada padrão por via laparoscópica. Assista o vídeo abaixo demostrando uma segmentectomia lateral esquerda. Assista o conteúdo na íntegra em www.surgbook.com.

Autor:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.