Imunologia

Whitebook: anafilaxia

Tempo de leitura: 2 min.

Essa semana publicamos uma matéria sobre anafilaxia e outras reações após vacina de mRNA da Moderna contra a Covid-19. Por isso, em nossa publicação semanal de conteúdos compartilhados do  Whitebook Clinical Decision vamos fazer a apresentação da anafilaxia.

Baixe agora gratuitamente o Whitebook e tenha tudo sobre todas as condutas médicas, na palma da mão!

Este conteúdo deve ser utilizado com cautela, e serve como base de consulta. Este conteúdo é parte de uma conduta do Whitebook e é destinado a profissionais de saúde. Pessoas que não estejam neste grupo não devem utilizar este conteúdo.
Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas
Cadastrar Login

Anafilaxia – Apresentação

Anamnese

Epidemiologia: Não existem dados a respeito da verdadeira incidência de anafilaxia no Brasil.

Quadro clínico: Apresenta-se com manifestações isoladas ou em combinação com diversos sistemas, normalmente iniciando-se 15 minutos após a exposição.

Sintomas podem incluir:

  • Pele: eritema, prurido, urticária e angioedema;
  • Gastrointestinal: náuseas, vômitos, diarreia e dor abdominal;
  • Cardiovascular: síncope, tontura, taquicardia, hipotensão e choque;
  • Vias aéreas: estridor, disfonia, rouquidão ou dificuldade de falar, dispneia, tosse, rinorreia, espirros, edema de glote e broncoespasmo;
  • Outros: convulsões e morte súbita.

Fases

    A fase efetiva da resposta imune ocorre em três padrões ou reações:
  • Aguda: inicia-se minutos após a exposição decorrente, principalmente de mediadores pré-formados;
  • Tardia: inicia-se horas após a diminuição ou o desaparecimento das manifestações da fase aguda, mesmo sem reexposição;
  • Crônica: acomete os órgãos ou tecidos expostos de maneira prolongada e repetida ao antígeno, desencadeando mudanças estruturais e funcionais.
    As reações anafilactoides (pseudoalérgicas) são indistinguíveis da anafilaxia. Entretanto, nessas não existe o componente mediado por IgE. Os mecanismos descritos são:
  • Ativação do sistema complemento e exposição de anafilotoxinas induzidas por imunoglobulinas (ex.: reação a hemoderivados com IgA em pacientes com IgG anti-IgA);
  • Ativação direta do sistema complemento e dos mastócitos;
  • Ação de anafilotoxina pré-formadas exógenas (ex.: hemoderivados).
Este conteúdo foi desenvolvido por médicos, com objetivo de orientar médicos, estudantes de medicina e profissionais de saúde em seu dia a dia profissional. Ele não deve ser utilizado por pessoas que não estejam nestes grupos citados, bem como suas condutas servem como orientações para tomadas de decisão por escolha médica. Para saber mais, recomendamos a leitura dos termos de uso dos nossos produtos.
Compartilhar
Publicado por
Carol Meneses

Posts recentes

Avaliação da deficiência de ferro durante a gestação

A deficiência de ferro pode chegar a prevalência de 59% nas gestantes ao redor do…

11 horas atrás

Recomendações pré-concepcionais para paciente com diabetes (tipo 1 ou 2) da ADA

Além da atenção focada em alcançar metas glicêmicas e os cuidados pré-concepcionais de rotina devem…

17 horas atrás

Dia nacional de conscientização sobre retinoblastoma: o que eu preciso saber sobre esse tumor?

Dia 18 de setembro é o Dia Nacional de Conscientização e Incentivo ao Diagnóstico Precoce…

1 dia atrás

Whitebook: Dia Mundial da Sepse

Em nossa publicação semanal de conteúdos compartilhados do Whitebook Clinical Decision vamos fazer a apresentação…

2 dias atrás

Origens e fundamentos da MBE – Parte 1: Relação entre o tratamento precoce com antibióticos para sepse e ida à feira

Nesse artigo, vamos analisar mais detalhadamente o primeiro princípio fundamental da medicina baseada em evidências…

2 dias atrás

Infecção puerperal e sepse materna: um evento prevenível?

A sepse puerperal é cinco causas mais frequentes de morte materna no mundo, sendo responsável…

2 dias atrás