Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Clínica Médica / Whitebook: primeiros socorros em saúde mental na Covid-19
médico se preparando na covid-19 para atender paciente de saúde mental

Whitebook: primeiros socorros em saúde mental na Covid-19

Esse conteúdo é exclusivo para
usuários do Portal PEBMED.

Tenha acesso ilimitado a todos os artigos, quizzes e casos clínicos do Portal PEBMED.

Faça seu login ou inscreva-se gratuitamente!

Esta semana, falamos no Portal PEBMED sobre várias questões da pandemia da doença pelo novo coronavírus, a Covid-19. Por isso, em nossa publicação semanal de conteúdos compartilhados do Whitebook Clinical Decision, vamos falar sobre os primeiros socorros em saúde mental durante a pandemia por Covid-19.

O Whitebook liberou esse e outros conteúdos sobre coronavírus gratuitamente! Baixe e confira as melhores condutas médicas!

Este conteúdo deve ser utilizado com cautela, e serve como base de consulta. Este conteúdo é destinado a profissionais de saúde. Pessoas que não estejam neste grupo não devem utilizar este conteúdo.

Procedimentos

  • Comece identificando quem possa precisar de ajuda e apresente-se. Pergunte se precisa de ajuda;
  • Retire o paciente de uma situação que possa representar ameaça ou perigo e coloque-o em segurança;
  • Caso a ajuda seja solicitada, procure um local mais silencioso e que permita alguma privacidade;
  • Se possível, ofereça água, um cobertor ou alguma outra coisa disponível para que o paciente se sinta mais à vontade;
  • Pergunte se precisa de mais alguma coisa ou se algo mais lhe preocupa;
  • Fique próximo ao paciente e não o pressione a falar;
  • Caso o paciente deseje falar sobre sua situação, ouça e demonstre que presta atenção ao que está sendo dito. Escute o que tem a lhe dizer e tente acalmá-lo e e lembrá-lo de que não está sozinho neste momento;
  • Em certos momentos, apenas a companhia silenciosa já pode ser um auxílio; esteja perto e se disponibilize para ajudar com hidratação, alimentação ou o que for possível, mesmo sem falar sobre o assunto;
  • Caso tenha, forneça informações sobre os familiares, amigos ou sobre a situação;
  • Tente contato com amigos ou familiares ou solicite a outra pessoa que o ajude com isso;
  • Procure orientar sobre como o paciente pode ter acesso a alguém ou a algum serviço que ajude com suas principais necessidades: alimentação, abrigo etc;
  • Ajude o paciente a se organizar: ver o que pode ser resolvido neste momento e o que pode ser resolvido depois;
  • Se tiver informações práticas sobre como o paciente pode agir num segundo momento, oriente-o (ex.: onde pode se cadastrar para receber insumos);
  • Lembre o paciente sobre como ele reagiu a situações adversas anteriormente e reafirme sua capacidade de enfrentamento e superação;
  • Peça ao paciente que se lembre daquilo que o faz se sentir melhor e estimule as estratégias positivas:
    • Alimente-se e hidrate-se regularmente;
    • Tente descanar, mas não passe o dia todo dormindo;
    • Cuide da sua higiene;
    • Evite o excesso de trabalho;
    • Faça atividade física;
    • Evite o tabagismo, o etilismo ou o uso de drogas;
    • Converse sobre seus problemas com um familiar ou amigo em quem confie;
    • Passe tempo com a família e amigos;
    • Ajude outras pessoas de forma segura;
  • Oriente sobre como pode entrar em contato com amigos e parentes;
  • Ajude a manter as crianças próximas de seus pais ou figuras de referência;
  • Se o paciente comentar sobre sua religião, tente aproximá-lo de um grupo da mesma organização religiosa. Respeite a religião do paciente. Não julgue e não tente impor a sua própria religião;
  • Se necessário, encaminhe o paciente e explique como funciona o serviço para evitar expectativas;
  • Se possível, aproxime o paciente de seus familiares ou pessoas próximas;
  • Reconheça os esforços do paciente, seus sentimentos ou perdas (ex.: “lamento o que aconteceu”, “imagino o quanto você esteja triste”);
  • Caso não tenha certeza de que é apropriado, evite tocar no paciente;
  • Não fale sobre seus próprios problemas ou conte histórias de outras pessoas. Veja como pode acalmar o paciente:
    • Relembre o paciente de que ele está seguro e de que você está lá para ajudar;
    • Mantenha a voz calma e o contato visual, se for apropriado;
    • Na presença de sintomas de desrealização (distanciamento do ambiente ou da realidade) tente fazer com que o paciente volte a ter contato com o que está ao redor (ex.: preste atenção à respiração, toque-se, pise no chão etc.).

Finalizando

  • Não há um momento certo para encerrar sua participação;
  • Observe as necessidades do paciente e o contexto;
  • Se alguém o substituir na função, apresente-o antes de se retirar;
  • Faça uma despedida positiva.
Este conteúdo foi desenvolvido por médicos, com objetivo de orientar médicos, estudantes de medicina e profissionais de saúde em seu dia-a-dia profissional. Ele não deve ser utilizado por pessoas que não estejam nestes grupos citados, bem como suas condutas servem como orientações para tomadas de decisão por escolha médica. Para saber mais, recomendamos a leitura dos termos de uso dos nossos produtos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.