Página Principal > Pediatria > Bullying e alterações comportamentais: panorama dos últimos anos

Bullying e alterações comportamentais: panorama dos últimos anos

Queremos saber a sua opinião! Gostou de ouvir essa notícia em áudio? Clique aqui e responda nossa pesquisa.

Um novo artigo, publicado na revista Pediatrics, examinou a prevalência de bullying e as alterações comportamentais relacionadas em crianças nos últimos anos.

Para o estudo, foram coletados auto-relatos de bullying e comportamentos relacionados de 246.306 alunos de 109 escolas de Maryland, nos EUA, em um período de 10 anos (2005 a 2014). Os dados foram ponderados para refletir as populações da escola e analisados usando modelagem linear hierárquica longitudinal para examinar as mudanças ao longo do tempo.

Quer receber diariamente notícias médicas no seu WhatsApp? Cadastre-se aqui!

Os resultados indicaram uma melhoria significativa em relação ao bullying e as preocupações relacionadas em 10 de 13 indicadores (incluindo uma diminuição do bullying e da vitimização) para formas pessoais (ou seja, física, verbal, relacional) e ciberbullying. Os resultados também mostraram um aumento nas percepções de que os adultos fazem o suficiente para parar o bullying e no sentimento de segurança e pertencimento dos alunos na escola.

Pelos resultados, os pesquisadores concluíram que a prevalência de bullying e comportamentos relacionados diminuiu ao longo do período analisado, com os últimos anos mostrando as maiores melhorias no clima escolar e reduções no bullying. Os autores destacam que outras pesquisas adicionais são necessárias para identificar fatores que contribuíram para essa redução.

Veja também: ‘Saúde de crianças e adolescentes na era digital: o que o médico precisa saber’

250x250-portal Luxação do ombro: bloqueio de plexo ou sedação?

Referências:

  • Ten-Year Trends in Bullying and Related Attitudes Among 4th- to 12th-Graders. Tracy Evian Waasdorp, Elise T. Pas, Benjamin Zablotsky, Catherine P. Bradshaw. Pediatrics Jun 2017, 139 (6) e20162615; DOI: 10.1542/peds.2016-2615


Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.