Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Reumatologia / Lúpus: Benlysta® (belimumabe) autoinjetável é aprovado nos EUA
jaleco médico

Lúpus: Benlysta® (belimumabe) autoinjetável é aprovado nos EUA

Acesse para ver o conteúdo
Esse conteúdo é exclusivo para usuários do Portal PEBMED.

Para continuar lendo, faça seu login ou inscreva-se gratuitamente.

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

O Food and Drug Administration (FDA), agência americana para regulamentação de medicamentos, aprovou Benlysta® (belimumabe) autoinjetável para o tratamento de lúpus eritematoso sistêmico. Com essa nova formulação, pacientes vão poder realizar o tratamento em casa.

Segundo comunicado da GSK, fabricante do medicamento, Benlysta® autoinjetável estará disponível como uma seringa pré-cheia de dose única ou um autoinjetor de dose única.

A aprovação foi baseada nos resultados de um ensaio clínico de fase III (BLISS-SC), que incluiu 836 pacientes randomizados para receber 200 mg por semana de belimumabe subcutâneo ou placebo, além dos cuidados padrões por 52 semanas.

Veja também: ‘Filhos de mães com lúpus podem apresentar maior risco de alergias?’

O desfecho primário, o índice de resposta SRI, na semana 52 foi atingido por 60,8% dos que receberam belimumabe, em comparação com 48,5% dos que receberam placebo (p = 0,0011).

O tempo para alargamento severo também foi significativamente mais longo no grupo de belimumabe (170 dias versus 116,5 dias; p = 0,0003) e 18,2% dos que receberam prednisona em doses superiores a 7,5 mg/dia conseguiram reduzir a dose em pelo menos 25%, assim como 11,9% dos do grupo placebo (p = 0,0732).

O perfil de segurança do belimumabe subcutâneo foi semelhante ao observado nos dois ensaios da formulação intravenosa (BLISS-52 e BLISS-76), com incidência global de eventos adversos de 31,3% no grupo de tratamento ativo e 26,1% no grupo placebo. No geral, os eventos foram infecções/infestações.

Tudo sobre o manejo do paciente com lúpus você encontra no Whitebook. Clique aqui e baixe GRÁTIS!

Referências:

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.