Whitebook: abordagem dietética da obesidade e tipos de dieta

Tempo de leitura: 3 minutos.

Esta semana, comemoramos o Dia Mundial da Obesidade. Por isso, em nossa publicação semanal de conteúdos compartilhados do Whitebook Clinical Decision, vamos falar de uma parte da abordagem nutrológica da obesidade: tipos de dieta.

Veja as melhores condutas médicas no Whitebook Clinical Decision!

Este conteúdo deve ser utilizado com cautela, e serve como base de consulta. Este conteúdo é destinado a profissionais de saúde. Pessoas que não estejam neste grupo não devem utilizar este conteúdo.

Abordagem Dietética

Abordagem inicial:

  • Para implementar uma intervenção dietética bem-sucedida, normalmente, realizamos um recordatório alimentar de 24 horas, em que o paciente deve relatar exatamente o que consumiu no dia anterior;
  • Orientar o paciente a eliminar todas as bebidas calóricas e alimentos processados, pois muitas vezes são a fonte de calorias indesejadas;
  • Controlar as porções ingeridas a cada refeição;
  • Monitorar a própria alimentação anotando tudo o que come.

Escolha da dieta:

  • O objetivo da terapia dietética é reduzir o número total de calorias consumidas. Escolher um padrão alimentar de alimentos saudáveis, como os da dieta DASH ou a dieta do mediterrâneo, em vez de se concentrar em um nutriente específico pode ser melhor para uma perda de peso saudável;
  • Existem muitas dietas “da moda” como as ricas em gordura e pobres em carboidrato, dietas pobres em gordura e muito pobres em gordura, dieta do índice glicêmico, jejum intermitente, sem glúten, sem lactose, etc; porém as mesmas carecem de mais estudos que comprovem sua eficácia;
  • Um dos principais determinantes da perda de peso parece ser o grau de adesão à dieta, independentemente da composição específica dos macronutrientes.

Tipos de Dieta

Se enquadram nos seguintes grupos:

  • Dieta balanceada de baixa caloria;
  • Versões de dietas saudáveis de baixa caloria;
  • Dietas com baixo teor de gordura;
  • Dietas com baixo teor de carboidratos;
  • Dietas ricas em proteínas;
  • Dietas de muito baixa caloria;
  • Jejum intermitente.

Dieta balanceada de baixa caloria:

  • Deve-se comer alimentos com nutrientes adequados;
  • Eliminar álcool, bebidas que contêm açúcar e os doces;
  • Usar alimentos embalados individualmente, como bebidas dietéticas, barras nutricionais, e alimentos congelados podem ajudar no controle da quantidade de alimentos ingeridos;
  • Refeições congeladas e com baixas calorias, contendo 250 a 350 kcal/porção, podem ser uma maneira conveniente e nutritiva.

Versões de baixa caloria de dietas saudáveis:

  • A dieta mediterrânea inclui um alto nível de gordura monoinsaturada em relação à gordura saturada; consumo moderado de álcool, principalmente vinho tinto; alto consumo de vegetais, frutas, legumes e grãos; consumo moderado de leite e produtos lácteos, principalmente sob a forma de queijo; e uma ingestão relativamente baixa de carnes. Ela parece estar associada a vários benefícios à saúde, incluindo redução do risco cardiovascular e prevenção do diabetes;
  • A dieta DASH é composta de quatro a cinco porções de frutas, quatro a cinco porções de vegetais e duas a três porções de laticínios com baixo teor de gordura/dia, e < 25% de ingestão de gordura.

Dietas com baixo teor de gordura:

  • Neste tipo de dieta, recomenda-se uma redução na ingestão diária de gordura para < 30% do consumo energético total.

Dietas pobres em carboidratos:

  • Em caso de dietas pobres em carboidratos, deve-se fazer escolhas saudáveis ​​de gorduras (gorduras mono e poli-insaturadas) e proteínas (peixe, nozes, legumes e aves), devido a associação entre ingestão de gordura saturada e risco de doença coronariana;
  • Dietas com baixo teor de carboidratos (60 a 130 gramas) e muito baixo teor de carboidratos (< 60 gramas) são mais eficazes para perda de peso a curto prazo do que dietas com baixo teor de gordura, mas não para perda de peso a longo prazo;
  • Se < 50 g/dia, ocorrerá cetose;
  • Uma dieta pobre em carboidratos pode ser implementada de duas maneiras, seja reduzindo a quantidade total de carboidratos ou consumindo alimentos com baixo índice glicêmico;
  • Estão associadas a mais efeitos colaterais como constipação, cefaleia, halitose, cãibras, diarreia, fraqueza e erupção cutânea.

Dietas ricas em proteínas:

  • Têm sido recomendadas para o tratamento da obesidade pois saciam mais e estimulam a termogênese.

Dietas de muito baixa caloria:

  • São dietas de 200 e 800 kcal/dia, enquanto que aquelas com menos de 200 kcal/dia podem ser denominadas dietas de inanição;
  • Não são recomendadas para o tratamento da obesidade;
  • Os efeitos colaterais incluem perda de cabelo, pele fina e fria;
  • Devem ser reservadas para indivíduos que necessitam de rápida perda de peso com um propósito específico, como cirurgia.

Jejum intermitente:

  • Para algumas pessoas, o jejum intermitente pode ser mais fácil do que uma dieta com poucas calorias, mas a perda de peso total não se mostrou diferente.
Este conteúdo foi desenvolvido por médicos, com objetivo de orientar médicos, estudantes de medicina e profissionais de saúde em seu dia-a-dia profissional. Ele não deve ser utilizado por pessoas que não estejam nestes grupos citados, bem como suas condutas servem como orientações para tomadas de decisão por escolha médica. Para saber mais, recomendamos a leitura dos termos de uso dos nossos produtos.
Relacionados