3 dicas fundamentais no tratamento da bacteremia por S. aureus - PEBMED

3 dicas fundamentais no tratamento da bacteremia por S. aureus

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

Bacteremia por Staphylococcus aureus está associada a maior mortalidade e morbidade. Estudos indicam que seguir alguns processos e cuidados específicos podem ajudar a melhorar os desfechos do paciente. Em novo artigo do JAMA Internal Medicine, pesquisadores testaram essa hipótese.

Os três cuidados testados foram:

  1. Prescrição adequada de antibióticos
  2. Uso de ecocardiografia para identificar endocardite
  3. Consulta com especialistas em doenças infecciosas

Através de um estudo retrospectivo de coorte, pesquisadores examinaram todos os pacientes internados em hospitais do sistema Veterans Health Administration (VHA), que tiveram um episódio de bacteremia por S. aureus entre 1º de janeiro de 2003 e 31 de dezembro de 2014.

Veja também: ‘Reduzindo risco de infecção de sítio cirúrgico por S. aureus’

A análise incluiu 36.868 pacientes de 124 hospitais (idade média: 66,4 anos; 97,7% do sexo masculino), incluindo 19.325 (52,4%) com infecção por S. aureus resistente à meticilina e 17.543 (47,6%) com infecção por S. aureus suscetível à meticilina.

A mortalidade ajustada ao risco diminuiu de 23,5% (IC de 95%: 23,3% – 23,8%) em 2003 para 18,2% (IC de 95%, 17,9% – 18,5%) em 2014. Taxa de prescrição adequada de antibióticos aumentou de 2.467 (66,4%) para 1.991 (78,9%), ecocardiografia de 1.256 (33,8%) para 1.837 (72,8%) e consulta com especialistas de 1.390 (37,4%) para 1.717 (68%).

Após o ajuste para fatores de confusão, o recebimento de processos de cuidados foi associado com menor mortalidade, com odds ratios ajustados de 0,74 (IC de 95%: 0,68 – 0,79) para prescrição adequada de antibióticos, 0,73 (IC 95%, 0,68 -0,78) para ecocardiografia e 0,61 (IC 95%, 0,56-0,65) para consulta com especialistas.

A mortalidade diminuiu progressivamente à medida que o número de cuidados que um paciente recebeu aumentou (odds ratio ajustado para os três processos em comparação com nenhum: 0,33; IC de 95%: 0,30 – 0,36). Estima-se que 57,3% (IC de 95%: 48,4% – 69,9%) da queda na mortalidade observada entre 2003 e 2014 sejam atribuídas ao aumento do uso desses processos de cuidados baseados em evidências.

E mais: ‘Algoritmo simples pode ajudar a prever bacteremia em pacientes hospitalizados’

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências:

  • Goto M et al. Association of evidence-based care processes with mortality in Staphylococcus aureus bacteremia at Veterans Health Administration hospitals, 2003–2014. JAMA Intern Med 2017 Sep 05; [e-pub]. (http://dx.doi.org/10.1001/jamainternmed.2017.3958)

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar