Leia mais:
Leia mais:
Terapia de reposição hormonal diminui o risco de demência?
Eficácia das intervenções de sintomas depressivos em pacientes com demência
Qual é a relação entre idade, menopausa e demência?
Quais os efeitos dos “medicamentos Z” para pessoas com demência?
Pesquisas sobre demência conseguiram avançar em 2020?

4 dicas para prevenção da demência

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minuto.

O número de pessoas com demência está aumentando globalmente. Um novo artigo do Annals of Internal Medicine dá quatro dicas baseadas em evidências para prevenção. São elas:

1) Medicamentos: as evidências não apoiam o uso de qualquer um dos seguintes fármacos para prevenir o declínio cognitivo em adultos com cognição normal ou comprometimento cognitivo leve: anti-hipertensivos, estatinas, anti-inflamatórios não-esteroides, aspirina, medicamentos para diabetes ou inibidores da colinesterase.

2) Suplementos: as evidências também são insuficientes para apoiar o uso dos seguintes suplementos: ômega-3, ginkgo biloba, vitaminas B, vitamina D com cálcio, betacaroteno ou multivitaminas.

3) Atividade física: não há evidência de que intervenções de componente único (treinamento aeróbio ou de resistência) melhoram a cognição ou ajudam na prevenção da demência em indivíduos sem comprometimento cognitivo. Uma intervenção com diversos componentes (atividade, dieta e treinamento cognitivo) parece ser a melhor opção, mas a evidência para isso é de baixa qualidade.

4) Treinamento cognitivo: parece melhorar o desempenho apenas no domínio treinado, como por exemplo a velocidade de processamento. As evidências não indicam que o treinamento pode impedir ou retardar o declínio cognitivo.

Veja também: ‘Imagem nas demências – onde estamos e para onde iremos’

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências:

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar