Home / Nefrologia / 9 fatos que você precisa saber sobre a doença renal crônica

9 fatos que você precisa saber sobre a doença renal crônica

Nefrologia
Acesse para ver o conteúdo
Esse conteúdo é exclusivo para usuários do Portal PEBMED.

Para continuar lendo, faça seu login ou inscreva-se gratuitamente.

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Nefrologia, a doença renal crônica afeta mais de 10 milhões de pessoas no país. A qualidade de vida do paciente que sofre com a doença é substancialmente menor.

Diabetes e hipertensão são as principais causas da doença em todos os países de renda alta e média, e também na maior parte dos países de baixa renda. A incidência, prevalência e progressão da DRC também variam por etnia e determinantes sociais da saúde, possivelmente por influência epigenética.

Muitas pessoas são assintomáticas ou têm sintomas não específicos, como letargia, coceira ou perda de apetite. Em geral, o diagnóstico é feito após achados em exames de triagem (vareta urinária ou exames de sangue), ou quando os sintomas se tornam graves. Amostras de biópsia do rim podem mostrar evidências definitivas de DRC, através de alterações comuns como esclerose glomerular, atrofia tubular e fibrose pulmonar.

Intervenções direcionadas a sintomas específicos ou destinadas a apoiar mudanças no estilo de vida fazem uma diferença positiva na vida do paciente.

Nefrolitíase: Conduta médica em Urologia – Baixe grátis nosso e-book!

Veja nove fatos que você precisa saber sobre a doença renal crônica:

  1. A doença renal crônica é definida como taxa de filtração glomerular (TFG) < 60 mL/min/1,73 m² ou evidência de dano renal como albuminuria ou achados anormais em exames de imagem com pelo menos três meses de duração
  2. Em países de renda média e alta, cerca de 1 em cada 10 pessoas tem DRC, principalmente causada por diabetes, hipertensão ou glomerulonefrite
  3. A prevalência varia de acordo com a etnia e os índices socioeconômicos, com grupos desfavorecidos desproporcionalmente afetados
  4. Os sintomas geralmente não são específicos até que o DRC seja avançado
  5. O diagnóstico é feito com base em estimativas de TFG e fisiopatologia como esclerose glomerular, atrofia tubular e fibrose intersticial encontrada na biópsia renal
  6. Complicações da DRC incluem anemia, doença óssea e aumento do risco de doenças cardiovasculares e câncer
  7. A morte prematura é até dez vezes mais provável do que a necessidade de diálise
  8. Pessoas com DRC têm qualidade de vida diminuída e condições socioeconômicas mais pobres à medida que a DRC progride
  9. Os serviços de saúde para a DRC estão mudando para se concentrar em recompensar a realização anterior de melhores resultados dos pacientes, em detrimento da prestação de serviços para DRC avançada

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

Referências:

  • The Lancet. Chronic Kidney Disease. DOI: https://dx.doi.org/10.1016/S0140-6736(16)32064-5

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.