Leia mais:
Leia mais:
IM/ACP 2021: dicas práticas sobre intoxicações agudas
Caso Flordelis: Como identificar uma intoxicação por arsênio?
Terapia de substituição renal no tratamento de intoxicações em crianças
Metemoglobinemia (Conduta médica em Emergência)

A intoxicação alimentar é um agravo prevalente nos meses de calor e férias. O que o enfermeiro precisa saber?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

A intoxicação alimentar é uma doença causada pelo consumo de alimento ou água contaminados com bactérias e/ou toxinas, parasitas, vírus ou produtos químicos (mercúrio, arsênio e outros). Nos casos específicos de contaminação por microrganismos, recebe um nome mais específico que é a infecção alimentar.

Leia também: Revisão de alimentos causadores de anafilaxia mais comuns por região 

Do ponto de vista fisiopatológico, a intoxicação alimentar divide-se em inflamatória e não inflamatória. A não inflamatória ocorre quando um microrganismo ou toxina entra em contato com a mucosa intestinal sem penetrá-la, de modo que causa sintomas mais brandos como dor abdominal, evacuações aquosas e volumosas. Por outro lado as diarreias inflamatórias são aquelas onde há invasão da mucosa intestinal, onde é comum a presença de pus, muco ou sangue nas fezes.

A intoxicação alimentar é um agravo prevalente nos meses de calor e férias. O que o enfermeiro precisa saber?

Sinais e sintomas:

  • Diarreia
  • Vômitos
  • Dor abdominal
  • Cefaleia
  • Prostração
  • Tenesmo retal
  • Febre

Sinais de agravo:

  • Hipotensão
  • Síndrome de Guillain-Barré
  • Choque
  • Diarreia persistente

De maneira geral não é realizado um tratamento específico, apenas dieta com privação de leite e derivados, reposição da flora intestinal, antieméticos, reposição volêmica com soro de reidratação oral e tratamento sintomático da febre.

De modo geral são quadros agudos rapidamente resolvidos. Casos que demorem mais que 4 semanas precisam de acompanhamento com o gastroentorologista pois representa cronificação do quadro.

Saiba mais: Como a alimentação pode influenciar no sistema imune infantil?

Autores(as):

Camila tenuto
Enfermeira (EEAAC/UFF) • Especialista em Terapia Intensiva Neonatal (IFF/FIOCRUZ) • Especialista em Terapia Intensiva (UNYLEYA) • Discente do Mestrado Profissional em Ensino na Saúde (EEAAC/UFF) • Enfermeira rotina do CTI Geral (HUPE/UERJ)

Juan Carlos Silva Possi
Mestre em Enfermagem (EEAN/UFRJ) e Especialista em Pediatria (IFF/FIOCRUZ) e Preceptoria no SUS (HSL).Enfermeiro das UTIs Pediátricas do IPPMG/UFRJ e do HUPE/UERJ. Docente da Uni São José.

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades
#Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Manual integrado de vigilância, prevenção e controle de doenças transmitidas por alimentos. Brasília: Ministério da Saúde, 2010. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_integrado_prevencao_doencas_alimentos.pdf #Crim SM, Griffin PM, Tauxe R, et al. Preliminary incidence and trends of infection with pathogens transmitted commonly through food - Foodborne Diseases Active Surveillance Network, 10 U.S. sites, 2006-2014. MMWR Morb Mortal Wkly Rep. 2015 May 15;64(18):495-9. Disponível em: https://www.cdc.gov/mmwr/preview/mmwrhtml/mm6418a4.htm
Referências bibliográficas:

    O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

    Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.