Amamentar pode diminuir risco de AVC e doença cardíaca

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Segundo um novo estudo publicado no Journal of the American Heart Association, amamentar pode reduzir risco de acidente vascular cerebral (AVC) e doença cardíaca.

Estudos anteriores já apontaram benefícios a curto prazo da amamentação na saúde da mãe, como perda de peso e níveis mais baixos de colesterol, pressão arterial e glicemia. No entanto, os efeitos a longo prazo ainda não haviam sido explorados.

Pesquisadores da Universidade de Oxford, da Academia Chinesa de Ciências Médicas e da Universidade de Pequim analisaram dados de 289.573 mulheres chinesas (idade média: 51 anos), que forneceram informações detalhadas sobre sua história reprodutiva e outros fatores de estilo de vida. Após oito anos de follow-up, foram registrados 16.671 casos de doença cardíaca coronária e 23.983 de AVC.

Quer receber diariamente notícias médicas no seu WhatsApp? Cadastre-se aqui!

Em comparação com as mulheres que nunca amamentaram, as mães que amamentaram seus bebês tiveram um risco 9% menor de doença cardíaca e 8% menor de AVC. Entre as que amamentaram por dois ou mais anos, o risco de doença cardíaca foi 18% menor e de AVC 17% menor.

Cada 6 meses adicionais de amamentação por bebê foi associado a um risco 4% menor de doença cardíaca e 3% menor de AVC.

Segundo os autores do estudo, ainda não é possível estabelecer os efeitos causais, mas esses benefícios podem ser explicados por uma “reposição” mais rápida do metabolismo da mãe após a gravidez.

American Heart Association recomenda amamentação por 12 meses, se possível.

Referências:

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar