Análise dos fatores de risco para mortalidade neonatal no Brasil

Segundo a UNICEF, o primeiro mês de vida é um período crucial para o RN. No Brasil, a mortalidade neonatal atingiu 2,5 milhões de RN em 2017.

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

Segundo o último relatório sobre mortalidade infantil, publicado em 20 de fevereiro de 2018 pela United Nations Children’s Fund (UNICEF), o primeiro mês de vida é o período mais crucial para a sobrevivência infantil.

O óbito neonatal é definido como a morte de um neonato antes de 28 dias de vida completos. No mundo todo, estima-se que 2,5 milhões de neonatos morreram no primeiro mês de vida somente em 2017 – aproximadamente 7.000 por dia.

No Brasil, a mortalidade neonatal correspondeu a nove mortes neonatais para cada 1.000 nascidos vivos no ano de 2016, uma diminuição expressiva comparada ao ano de 1990, quando o valor era de 25 mortes neonatais para cada 1.000 nascidos vivos. Apesar dessa diminuição, ainda é bastante elevada e diferente entre as regiões do país.  

Recente revisão sistemática e metanálise de estudos observacionais avaliou quais fatores de risco se associam com a mortalidade neonatal no Brasil de forma significativa. O estudo, publicado em junho pelo Jornal de Pediatria, objetivou também construir uma análise abrangente sobre a mortalidade de recém-nascidos (RN) no país.

Veloso e colaboradores (2019) avaliaram os estudos observacionais sobre mortalidade neonatal realizados em cidades brasileiras entre 2000 e 2018.  Foram usadas as bases Medline, Elsevier, Cochrane, Lilacs, SciELO e OpenGrey. A Escala Newcastle-Ottawa foi aplicada para a análise qualitativa.

Saiba mais: Você sabe o que é Síndrome do Desconforto Respiratório do recém-nascido?

Para a análise quantitativa, logaritmos naturais das medidas de risco e de seus intervalos de confiança (IC), o método de DerSimonian e Laird como modelo de efeitos aleatórios e o modelo de Mantel-Haenszel para estimativa da heterogeneidade foram utilizados. A análise qualitativa resultou em seis estudos de baixo risco de viés e quatro estudos e risco intermediário-baixo. Os fatores de risco descritos pelos pesquisadores como significativos constam no Quadro 1.

 

Para Veloso e colaboradores (2019), o principal fator a ser considerado neste contexto é o baixo peso ao nascer e, de modo mais preciso, o muito baixo peso ao nascer. Segundo os autores, este fator é também considerado um dos principais fatores de risco para a mortalidade neonatal em outras localidades, como Jordânia, China, Estados Unidos, México, Trinidad e Tobago.

A mortalidade de RN é o resultado de doenças e condições intimamente associados à qualidade dos cuidados da gestação ao parto e durante a internação neonatal. Os resultados deste trabalho reforçam a relevância dos fatores de risco descritos para a mortalidade de RN no Brasil, enfatizando a influência que mudanças comportamentais, médicas e de estrutura podem exercer na redução de taxas tão elevadas.

 

Referências:

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão

Especialidades