Anestésicos e sedativos têm efeito negativo no desenvolvimento cerebral de crianças?

A U.S. Food and Drug Administration alertou sobre os riscos do uso de anestésicos e sedativos em crianças abaixo de 3 anos e em gestantes no 3º trimestre.

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

Em dezembro, a U.S. Food and Drug Administration (FDA) lançou uma nota para profissionais de saúde e pais alertando sobre os riscos do uso de anestésicos e sedativos em crianças abaixo de 3 anos de idade e em gestantes no terceiro trimestre de gestação.

Observações em estudos com animais e crianças sugerem alterações comportamentais e de aprendizado com o uso duradouro (maior que 3 horas) e repetido de algumas medicações, devido ao efeito negativo no desenvolvimento cerebral. Crianças com uso esporádico e limitado dessas medicações não aparentam apresentar esses problemas, embora outros estudos devam ser realizados para conclusões mais definitivas.

Mais da autora: ‘Como o sono pode reduzir os sintomas de transtorno de déficit de atenção e hiperatividade’

As medicações descritas pela nota incluem: desflurano, etomidato, halotano, isoflurano, cetamina, lorazepam injetável, metohexital, midazolam injetável, pentobarbital, propofol e sevoflurano. Nos EUA, essas medicações passarão a apresentar avisos de alerta em seus rótulos.

O texto destaca que o manejo da dor é extremamente importante pelos seus efeitos negativos no sistema nervoso central de crianças, além da existência de procedimentos inadiáveis nesse período da vida. Por isso, é importante que profissionais de saúde e pais possam discutir e avaliar potenciais riscos e benefícios da realização de cirurgias e/ou procedimentos nessa faixa etária.

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

Alguns exemplos de procedimentos que não devem ser postergados são cirurgias para: defeitos cardíacos graves, manejo de atresia de esôfago, obstrução ou invaginação intestinal, gastrosquise ou onfalocele, hérnias diafragmáticas, lesões pulmonares congênitas, estenose hipertrófica de piloro, correção de lábio leporino e fenda palatina, orquidopexias. Em gestantes, não se deve adiar realização de cirurgias para apendicite, retirada de vesícula biliar, ou tratamento de lesões traumáticas.

Referência:

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão

Especialidades