Página Principal > Saúde Pública > ANVISA lança Programa Nacional de Prevenção e Controle de Infecções; veja objetivos

ANVISA lança Programa Nacional de Prevenção e Controle de Infecções; veja objetivos

Para reduzir a incidência de infecções relacionadas à assistência à saúde (IRAS), a ANVISA lançou seu programa nacional de prevenção e controle, para o período de 2016-2020.

Para alcançar o objetivo geral, a ANVISA listou 4 objetivos específicos para o período:

1) Consolidar o Sistema Nacional de Vigilância Epidemiológica das IRAS
2) Reduzir nacionalmente a incidência das IRAS prioritárias. Metas para até 2020:

  • reduzir 15% da densidade de incidência de Infecção Primária da Corrente Sanguínea Laboratorial (IPCSL) associada ao uso de CVC em UTI adulto, pediátrica ou neonatal com taxa de infecção acima de 90%.
  • 50% dos hospitais com leitos de UTI adulto, pediátrica ou neonatal com Check list de Verificação das Práticas de Inserção Segura de Cateter Venoso Central* (VPIS-CVC) implementado.
  • 80% dos hospitais com leitos de UTI adulto, pediátrico ou neonatal com protocolos implantados: Prevenção de PAV* e ITU associada á SVD*.

3) Prevenir e controlar a disseminação da resistência microbiana em serviços de saúde. Metas até 2020:

  • 70% das ações previstas no Plano Nacional para Prevenção e Controle de Resistência Microbiana em Serviços de Saúde executadas.
  • 80% de todos os hospitais com leitos de UTI (adulto, pediátrico ou neonatal) notificando os seus dados de Resistência Microbiana (RM) em IPCSL associada a CVC com regularidade de notificação de 10 a 12 meses do ano.
  • 80% dos hospitais com leitos de UTI adulto, pediátrica ou neonatal com Protocolos de Uso de Antimicrobianos implantados na UTI.

4) Consolidar o Programa Nacional de Prevenção e Controle de Infecções Relacionadas à Assistência a Saúde (PNPCIRAS)

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

*Definições importantes:

O Check list de Práticas de Inserção Segura de Cateter Venoso Central deve conter, pelo menos, os seguintes itens:

– Higiene das mãos.
– Precauções de barreira máxima para a inserção do cateter: uso gorro, máscara, avental e luvas estéreis e campos estéreis grandes que cubram toda área a ser puncionada.
– Preparo da pele com solução alcoólica de clorexidina a 0,5% ou PVPI.
– Seleção do sítio de inserção de Cateter Venoso Central (CVC): utilização da veia subclávia como sítio preferencial para CVC não tunelizado.

O protocolo de prevenção de PAV deve conter, pelo menos, orientações para:

– Manter os pacientes com a cabeceira elevada entre 30 e 45o;
– Avaliar diariamente a sedação e diminuir sempre que possível;
– Higiene oral com antissépticos.

Já o de prevenção de ITU associada á sonda vesical de demora:

– Higiene das mãos antes e após a inserção do cateter e qualquer manuseio do sistema ou do sítio;
– Definição de critérios para indicações do uso de cateteres urinários;
– Orientações para a inserção, cuidados e manutenção do cateter urinário.

Clique aqui para ver o programa completo.

Referências:

  • https://www.ccih.med.br/anvisa-lanca-o-programa-de-controle-de-infeccoes-2016-2020/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.