Aprovado novo antibiótico para infecção urinária complicada

Tempo de leitura: 2 minutos.

Em um esforço no combate à resistência aos antimicrobianos, a U.S. Food and Drug Administration (FDA) aprovou mais uma nova opção para o tratamento de infecção urinária (ITU) complicada.

Cefiderocol é uma nova cefalosporina com atividade contra bactérias Gram-negativas, notadamente Escherichia coli, o complexo Enterobacter cloacae, Klebsiella pneumoniae, Proteus mirabilis e Pseudomonas aeruginosa. Embora tenha mostrado atividade in vitro contra outras espécies bacterianas – incluindo Acinetobacter baumannii, Citrobacter spp., Morganella morganii, Proteus vulgaris, Serratia marcescens e Stenotrophomonas maltophilia – a eficácia clínica de seu uso para o tratamento de infecções por essas últimas bactérias ainda não foi determinada.

ITU complicada: Estudo do novo antibiótico

Pelo FDA, cefiderocol está indicado no tratamento de adultos com infecções urinárias complicadas, incluindo pielonefrite, causadas por E. coli, E. cloacae, K. pneumoniae, P. mirabilis ou P. aeruginosa e que não possuem outras alternativas de tratamento.

O estudo que levou à aprovação teve, na análise final, 371 pacientes adultos hospitalizados com ITU complicada e que foram randomizados para receber imipenem/cilastatina ou cefiderocol por 7 a 14 dias. As taxas de resposta clínica foram semelhantes entre os grupos. Dos pacientes que receberam cefiderocol, 72,6% alcançaram erradicação microbiológica e melhora dos sintomas, enquanto esse desfecho composto foi alcançado em 54,6% dos pacientes que receberam imipenem.

Mais da autora: Xpert MTB/RIF Ultra: o novo teste rápido molecular para tuberculose

Os principais efeitos adversos observados foram alterações do trânsito intestinal, reações no local de infusão, rash cutâneo, tosse, aumento de transaminases, cefaleia, hipocalemia e náuseas e vômitos.

A dose recomendada é de 2 g, IV, 8/8h, em infusão prolongada de 3h. As doses necessitam ser corrigidas nos casos de disfunção renal (ClCr < 60 mL/min) ou em pacientes com taxa de filtração glomerular aumentada (ClCr ≥ 120 mL/min). O tempo de tratamento recomendado é de sete a 14 dias.

Sobre o cefiderocol

Importante destacar que a bula de aprovação do FDA emite um alerta em relação ao uso de cefiderocol no tratamento de infecções por bactérias resistentes a carbapenêmicos. Foi observado um aumento na mortalidade por todas as causas com o uso de cefiderocol nesse contexto em relação a pacientes tratados com a melhor terapia disponível. Esse aumento de mortalidade ocorreu em pacientes críticos com pneumonia nosocomial, infecções de corrente sanguínea ou sepse. Assim, a recomendação é de usar cefiderocol somente em casos de ITU.

Além disso, a bula ressalta que, como outras cefalosporinas, cefiderocol pode ser fator precipitante de crises convulsivas, devendo ser usado com cautela em pacientes com epilepsia, principalmente nos com disfunção renal.

Embora ainda com indicações restritas de uso, a aprovação do cefiderocol representa mais uma nova opção de tratamento em casos de infecção por Gram-negativos. Lembrando sempre que o uso racional de antibióticos é essencial para o controle da resistência bacteriana.

Quer receber as principais atualizações em Clínica Médica? Participe do nosso grupo do Whatsapp!

Autor:

Referências bibliográficas:

Relacionados