Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Caso Clínico / Caso Clínico: entrelaçamento de cordões em gestação monoamniótica

Caso Clínico: entrelaçamento de cordões em gestação monoamniótica

Acesse para ver o conteúdo
Esse conteúdo é exclusivo para usuários do Portal PEBMED.

Para continuar lendo, faça seu login ou inscreva-se gratuitamente.

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

Tempo de leitura: < 1 minuto.

O entrelaçamento dos cordões é frequente nas gestações monoamnióticas. Pode complicar até 50% dessas gestações e apresenta mortalidade de cerca de 15% após a idade gestacional de 20 semanas. O diagnóstico pode ser feito a partir da ultrassonografia com Doppler. No entanto, não se sabe muito bem o mecanismo que leva à constrição patológica dos vasos umbilicais. 

Foto: Acervo Pessoal da Dra Maria Claudia Senna Barboza

A monitorização fetal durante a gestação é controversa. Nas gestações monocoriônicas e monoamnióticas, está recomendado o nascimento entre 32 e 34 semanas, após curso de corticoide para maturação pulmonar.

Autora: 

Referências:

  • Cunningham et al – Obstetrícia de Williams 24a edição ACOG Committee opinion number 764 – Medically indicated late-preterm end early-term deliveries. Vol 133, No 2, February 2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.