Página Principal > Infectologia > Caso Ebola no Congo: o começo de nova epidemia?
imagem do vírus ebola

Caso Ebola no Congo: o começo de nova epidemia?

Queremos saber a sua opinião! Gostou de ouvir essa notícia em áudio? Clique aqui e responda nossa pesquisa.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) emitiu essa semana um anúncio oficial de novo surto de Ebola na República Democrática do Congo. Agentes da organização estão a caminho do país para acompanhar de perto os casos e oferecer assistência à população.

Desde abril, o ministério de saúde do país vinha monitorando um surto de febre hemorrágica (principal sintoma da infecção pelo vírus), incluindo nove casos com suspeita de Ebola. No total, três pacientes foram a óbito. Entre os casos suspeitos, foram coletadas cinco amostras de sangue, mas apenas duas testaram positivo. A outra morte ainda está sob investigação.

Veja também: ‘Ebola- O que os médicos precisam saber’

Segundo a OMS, a região afetada é isolada, o que pode contribuir para a contenção do vírus. A organização enviou equipes com epidemiologistas, biólogos e especialistas em saúde pública para a região afetada. A previsão é de que nas próximas horas eles já estejam no local auxiliando a população. O ministro de saúde do Congo informou que está rastreando cerca de 125 pessoas que podem ter tido contato com os doentes para monitoramento.

Essa será, possivelmente, a primeira vez que a vacina contra a Ebola, que teve 100% de eficácia em testes na Guiné, será usada numa situação real de epidemia.

Os cientistas ainda não descobriram como o primeiro caso contraiu a doença, mas a suspeita é de transmissão através do contato com macacos infectados com o vírus. A República Democrática do Congo passou por um surto recente de Ebola, em 2014, que matou 49 pessoas.

Referências:

  • https://www.medpagetoday.com/InfectiousDisease/Ebola/65263

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.