Home / Hepatologia / Colangite esclerosante primária: nova diretriz sobre uso da ressonância magnética

Colangite esclerosante primária: nova diretriz sobre uso da ressonância magnética

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

A ressonância magnética (RM) é uma modalidade de imagem não-invasiva que pode ser usada para diagnosticar a colangite esclerosante primária (CEP) e detectar complicações relacionadas a essa doença. O International PSC Study Group publicou suas novas diretrizes sobre o uso da RM nesse casos. Os keypoints são:

  • Recomenda-se utilizar a RM (com ou sem contrase) como a primeira modalidade de diagnóstico por imagem para suspeitas de CEP.
  • Em pacientes com sintomas de piora sugestivos de colestase ou colangite, ou evidências laboratoriais/clínicas de obstrução, recomenda-se realizar a RM antes da colangiopancreatografia retrógrada endoscópica ou colangiografia percutânea.
  • Em pacientes com CEP, médicos devem utilizar a RM como o teste inicial de suspeita de colangiocarcinoma.
  • Não existe evidência de qualidade para apoiar ou desencorajar o uso de RM no rastreio de colangiocarcinoma em pacientes assintomáticos com CEP. Essa decisão deve se basear em cada caso.
  • Embora a RM possa identificar doenças avançadas do fígado, a evidência é insuficiente para sustentar seu uso rotineiro para prever o avanço das doenças.

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.