Leia mais:
Leia mais:
A associação covid-19 e diabetes mellitus gestacional aumenta o risco de desfechos desfavoráveis
Identificada em São Paulo subvariante inédita da covid-19
ATS 2022: Diretrizes para pesquisa de agentes virais não influenza em PAC
Doação de leite humano é impactada negativamente pela Covid-19, segundo estudo
Hepatite: Existe risco pós-vacina contra covid-19?

Covid-19 deixa de ser emergência de saúde pública no Brasil

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

O ministro da saúde, Marcelo Queiroga, anunciou neste domingo (17/4) o fim do estado de emergência sanitária nacional devido à covid-19, instaurado em fevereiro de 2020.

Em seu pronunciamento, o ministro falou que com a alta taxa de vacinação no país (73%) da população vacinada, além de uma melhora no cenário epidemiológico, foi possível decretar o fim da emergência sanitária.

Em março, Marcelo Queiroga havia dito que era necessário ao menos três fatores para a sua revogação: cenário epidemiológico favorável, com queda nos casos e óbitos, estrutura do sistema hospitalar, principalmente das UTIs desafogadas e acesso a medicamentos eficazes contra a covid-19 na fase inicial.

A decisão vai de encontro à declaração da Organização Mundial da Saúde (OMS), que no dia 13 de abril determinou que a pandemia continua a ser uma Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional (Espin), considerado o nível máximo de risco da doença nos países.

Leia também: Alta prevalência de depressão, ansiedade e estresse pós-traumático após covid-19 no Brasil

Em janeiro, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, emitiu um alerta aos líderes mundiais de que a pandemia de covid-19 “não está nem perto do fim”.

Principais medidas afetadas

Segundo Marcelo Queiroga, nos próximos dias será editado um ato normativo explicando quais serão as medidas adaptadas após o fim da pandemia. Estima-se que mais de 2 mil normas percam o seu efeito em todo o país, como a possibilidade de comprar medicamentos e insumos médicos sem licitação.

Com o término da emergência sanitária, o Ministério da Saúde pediu à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), por exemplo, que autorize a manutenção, por até um ano, do uso emergencial de alguns produtos para combater a Covid-19, como a vacina CoronaVac.

Entre as outras normas que poderão ser afetadas com o fim do estado de emergência sanitária nacional estão a do uso de máscaras, do isolamento, da quarentena, da realização compulsória de exames médicos e vacinação, do teletrabalho e da regulamentação da telemedicina.

Além disso, as normativas autorizaram a aplicação de medicamentos e vacinas para uso emergencial e a possibilidade de restrição da entrada e saída do país.

O que dizem os especialistas

Especialistas avaliam que, apesar da redução recente das infecções, este ainda não seria o melhor momento para revogar a portaria de emergência da saúde pública no Brasil, principalmente em relação à exigência do passaporte vacinal para entrar em certos lugares.

Na opinião pessoal do infectologista Alexandre Naime Barbosa, que é vice-presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) e atua como professor e pesquisador da Faculdade de Medicina da Universidade Estadual Paulista (UNESP), o Brasil ainda tem uma taxa de transmissão e uma média móvel de casos de internações e óbitos que não justifica a revogação dessa emergência sanitária.

Veja mais: Conheça a próxima etapa do estudo da Unicamp e USP sobre os efeitos da covid-19 no cérebro

“A nossa média móvel de óbitos está em torno de 100 por dia, o que significa que a cada mês temos 3 mil óbitos. Nós temos a transmissão sustentada em todo território nacional, o que pode justificar o surgimento de novas variantes e eventuais ondas ou picos regionais e até nacionais. Além disso, toda a questão de emergência de saúde pública é necessária para o financiamento da testagem e da rede hospitalar, e ainda do uso emergencial de algumas vacinas. Por essas questões, me parece prematura essa decisão”, disse o infectologista Alexandre Naime Barbosa em entrevista ao Portal PEBMED.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Autor(a):

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades
#Para OMS, Covid-19 continua a ser emergência de saúde pública internacional. Portal G1. https://g1.globo.com/saude/coronavirus/noticia/2022/04/18/para-oms-covid-19-continua-a-ser-emergencia-de-saude-publica-internacional.ghtml
Referências bibliográficas:

    O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

    Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.