Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Clínica Médica / Covid-19 em imunossuprimidos — parte III: como a doença age em pacientes hematológicos?
Pesquisadores analisam como a Covid-19 afeta pacientes imunossuprimidos como aqueles com doenças hematológicas

Covid-19 em imunossuprimidos — parte III: como a doença age em pacientes hematológicos?

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

Outra forma comum de imunossupressão na prática clínica é a vivenciada por pessoas com doença hematológica. Tais indivíduos podem apresentar comprometimento do sistema imune pela doença de base ou por seu tratamento, que, por vezes, envolve regimes de quimioterapia com potencial para mieloablação. Assim como em outras populações de pacientes imunossuprimidos, há poucas evidências sobre o comportamento da Covid-19 em pacientes hematológicos. Alguns estudos de coorte e séries de casos avaliaram essa subpopulação, com descrição de apresentação e desfechos clínicos.

Leia também: Covid-19 em imunossuprimidos — parte II: como a doença age em indivíduos com HIV?

Apresentação e características clínicas

Malard et al. (2020), em uma carta aos editores da Bone Marrow Transplatation, descreveram a apresentação clínica de 25 doentes hematológicos adultos com Covid-19 confirmada laboratorialmente atendidos no departamento de Hematologia de um hospital localizado em Paris. A idade média dos pacientes foi de 72 anos e 68% eram homens. Uma proporção elevada (92%) possuía comorbidades concomitantes: 68% eram hipertensos, 32% eram obesos e 25%, diabéticos.

Os sintomas mais comuns foram febre (89%), tosse (79%) e dispneia (79%). Tomografia de tórax foi realizada em 14 pacientes, com presença de vidro fosco bilateral em todos. Radiografia de tórax foi realizada em outros 7 pacientes, todas com presença de opacidades pulmonares bilaterais.

A maioria dos pacientes apresentava neoplasias linfoides, com somente 16% apresentando neoplasia mieloide (síndrome mielodisplásica). Em relação ao tratamento de doença de base, 56% estavam recebendo terapia, sendo 40% com uso de corticoides e 28% com história de transplante de células hematopoiéticas.

Saiba mais: Covid-19 em imunossuprimidos – parte I: como a doença age em receptores de transplante de órgãos?

Estudo chinês

Em outro estudo realizado na China, 13 pacientes hospitalizados com diagnóstico de neoplasia hematológica e que contraíram Covid-19 foram comparados com 115 pacientes hospitalizados com diagnóstico de neoplasia hematológica e sem Covid-19 e com 11 profissionais de saúde hospitalizados com Covid-19. A maioria (95%) dos pacientes com doença hematológica havia recebido tratamento antineoplásico prévio.

Os diagnósticos hematológicos dos pacientes que contraíram Covid-19 eram: leucemia mieloide aguda, leucemia linfoblástica aguda, mieloma de células plasmáticas e síndrome mielodisplásica. Não houve correlação entre o tipo de câncer hematológico e a probabilidade de infecção por SARS-CoV-2.

Comparados com os profissionais de saúde com Covid-19 utilizados como controles, os pacientes com neoplasia hematológica apresentaram febre, tosse e dispneia de forma mais frequente. Os achados tomográficos foram semelhantes entre os grupos.

Por fim, uma coorte de 85 pacientes com doenças hematológicas que receberam ou estavam recebendo algum tipo de terapia sistêmica e que tiveram diagnóstico clínico-radiológico ou laboratorial de Covid-19 foi descrita por Fox et. al (2020). Desses, 81% apresentavam febre, 70% apresentavam tosse e 61%, dispneia. Outros sintomas relatados foram: fadiga (47%), diarreia (19%), produção de escarro (17%) e mialgia (11%). Quase a totalidade (93%) dos pacientes foi hospitalizada, dos quais 86% estavam em tratamento para sua doença de base no momento do diagnóstico de Covid-19.

Desfechos clínicos

Na descrição dos pacientes franceses de Malard, dos 18 pacientes com tempo de seguimento médio de 29 dias, 13 (52%) desenvolveram SARA e 6 (33%) necessitaram de ventilação mecânica invasiva e foram admitidos em CTI. Para os 7 pacientes restantes, devido a idade e história de doença hematológica, foi optado pela equipe assistente por não serem transferidos para unidades de terapia intensiva. Dos pacientes que desenvolveram SARA, 9 morreram, o que resultou em uma estimativa de sobrevivência em 1 mês de 60%.

Nos casos dos pacientes hematológicos chineses, quando comparados com os controles com Covid-19, mas sem doença hematológica, os primeiros apresentaram maior incidência de coinfecções bacterianas, fúngicas e virais, além de maior frequência de complicações clínicas, como SARA, disfunção renal e sepse, e necessidade de suporte de oxigênio. Todos os casos de Covid-19 considerados como graves ou críticos ocorreram em pacientes com neoplasia hematológica. Oito dos 13 pacientes com neoplasia hematológica e Covid-19 morreram (61%), enquanto não houve óbitos no grupo controle de profissionais de saúde.

Na coorte descrita por Fox, a mortalidade nos pacientes hospitalizados foi de 37%. Entre os pacientes que necessitaram de ventilação invasiva, a taxa de mortalidade foi de 66%. Idade foi fator de risco para mortalidade de forma estatisticamente significativa, com um OR = 1,96 para cada década (IC 95% = 1,14 – 3,37; p = 0,015). Não houve associação da presença de comorbidades e mortalidade.

Mensagens práticas

  • Pacientes com neoplasias hematológicas parecem estar sob maior risco de desenvolver SARA e de maior mortalidade devido à infecção por SARS-CoV-2.
  • Sintomas e achados tomográficos não diferiram dos encontrados na população geral, com febre, tosse e dispneia como sintomas mais frequentes.
  • Além de complicações clínicas, os pacientes com neoplasia hematológica também apresentam grande risco de coinfecções bacterianas, fúngicas e virais.

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • Malard F, Genthon A, Brissot E, et al. Covid-19 outcomes in patients with hematologic disease. Bone Marrow Transplantation 2020 https://doi.org/10.1038/s41409-020-0931-4
  • He W, Chen L, Chen L, Yuan G, Fang Y, Chen W, Wu D, Liang B, Lu X, Ma Y, Li L, Wang H, Chen Z, Li Q,, Gale RP. Covid-19 in persons with haematological cancers. Leukemia 2020 https://doi.org/10.1038/s41375-020-0836-7
  • Fox TA, Troy-Barnes E, Kirkwood AA, Chan WY, Day J, Chavda SJ, Kumar EA, David K, Tomkins O, Sanchez E, Scully M, Khwaja A, Lambert J, Singer M, Roddie C, Morris EC, Yong KL, Thomson KJ, Ardeshna KM. Clinical outcomes and risk factors for severe Covid-19 infection in patients with haematological disorders receiving chemo- or immunotherapy. British Journal of Haematology https://doi.org/10.1111/bjh.17027

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.