Página Principal > Pediatria > Cuidado paterno diminui em 33% a obesidade infantil
bebe segurando o dedo indicador do pai

Cuidado paterno diminui em 33% a obesidade infantil

Crianças com índice de massa corporal (IMC) elevado são mais propensas a serem obesas quando adultas e desenvolverem condições crônicas relacionadas. Um novo artigo, publicado na revista Obesity, sugere que o envolvimento do pai na criação do filho pode diminuir em até 33% a obesidade infantil.

Para o presente estudo, pesquisadores utilizaram dados Early Childhood Longitudinal Study–Birth Cohort, com 10.700 crianças, para realizar análises de regressão logística e avaliar a associação entre o envolvimento do pai com a educação da criança (cuidar e influenciar as decisões relacionadas) e as mudanças na obesidade infantil.

Crianças cujos pais estavam mais envolvidos em tarefas diárias como vestir, escovar os dentes e dar banho, tiveram uma probabilidade 33% menor de se tornarem obesas entre os 2 e os 4 anos (odds ratio [OR]: 0,67; p<0,05). Já em tarefas que envolveram atividades físicas (caminhar ou brincar ao ar livre), a redução foi de 30% ([OR]: 0,70).

Pelos resultados, os pesquisadores concluíram que o maior envolvimento paterno em alguns aspectos da prestação de cuidados pode estar associado a menores probabilidades de obesidade infantil.

Referências:

  • Wong, M. S., Jones-Smith, J. C., Colantuoni, E., Thorpe, R. J., Bleich, S. N. and Chan, K. S. (2017), The longitudinal association between early childhood obesity and fathers’ involvement in caregiving and decision-making. Obesity. doi:10.1002/oby.21902