Psiquiatria

Depressão pós-parto: pesquisa comprova eficácia da brexanolona

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

A depressão pós-parto é um distúrbio psíquico que acomete mulheres geralmente no período de 6 a 18 meses após o nascimento do bebê. Uma das diversas causas do transtorno é a mudança hormonal que ocorre durante a gestação. Vários estudos associam a depressão pós-parto a alterações nos receptores de GABAA e de seus moduladores alostéricos.

Entre os sintomas mais frequentes da depressão pós-parto estão tristeza profunda, alteração de humor, irritação, perda de apetite, além de ansiedade. Vários fármacos estão em fase de testes para o controle das apresentações clínicas da doença, um deles é a brexanolona, que em uma recente pesquisa se mostrou eficaz na diminuição dos sintomas já nas primeiras 60 horas a partir da aplicação da injeção.

Leia mais: Depressão pós parto grave aumenta risco de desfechos adversos na prole

A pesquisa, publicada em agosto de 2018 na revista The Lancet, reuniu dados de dois estudos duplo-cegos e randômicos realizados entre 2016 e 2017. O levantamento contou com 375 mulheres no total. No primeiro estudo, as participantes foram divididas aleatoriamente em 3 grupos: o primeiro recebeu brexanolona 90 µg/kg/hora (n= 45), o segundo foi medicado com brexanolona 60 µg/kg/hora (n= 47) e o terceiro recebeu placebo (n=46).

No segundo estudo, as participantes foram designadas em dois grupos, no primeiro foi administrada a injeção de brexanolona na dose 90 µg/kg/hora (n=54), e no segundo grupo placebo (n=54). A pesquisa levou em consideração voluntárias cujo parto ocorreu há pelo menos 6 meses a partir do início do rastreio e diagnosticadas com depressão pós-parto. Não estavam elegíveis mulheres com insuficiência renal, alergia ao fármaco, histórico de esquizofrenia, transtorno bipolar e anemia.

Ao final de 60 horas de medicação com injeção de brexanolona, nos dois estudos, as participantes dos grupos medicados com o fármaco sentiram diminuição dos sintomas da depressão pós-parto (HAM-D ≤7) em relação ao grupo do placebo (51% vs 16% [60-µg] e 61% vs 38% [90-µg]). A pesquisa constatou ainda que a melhora nos sintomas das pacientes que receberam brexanolona 90-µg permaneceu por 30 dias.

Tenha em mãos informações objetivas e rápidas sobre práticas médicas. Baixe o Whitebook

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências:

  • Meltzer-Brody S et al. Brexanolone injection in post-partum depression: Two multicentre, double-blind, randomised, placebo-controlled, phase 3 trials. Lancet 2018 Aug 31; [e-pub]. (https://doi.org/10.1016/S0140-6736(18)31551-4)
Compartilhar
Publicado por
Roberto Caligari

Posts recentes

Modelo de reconhecimento de caligrafia para detectar doença de Parkinson é desenvolvido por adolescentes americanos

Foi publicado um estudo sobre o aprendizado de máquina baseado em um conjunto de algoritmos…

10 horas atrás

Highlights do ATS 2022 [podcast]

Confira os destaques do ATS 2022, um dos maiores encontros em pneumologia, cirurgia torácica e…

11 horas atrás

PEBMED e ILAS: terapia antimicrobiana na sepse [podcast]

Neste episódio, saiba mais sobre a terapia antimicrobiana na sepse. Confira!

11 horas atrás

Fernanda Pautasso esclarece os principais aspectos sobre enfermeiro navegador

Convidamos a Enfermeira Mestre Fernanda Pautasso para bater um papo super interessante sobre enfermeiro navegador.

12 horas atrás

Resultados da denervação seletiva para rizartrose

A rizartrose é extremamente comum, com prevalência estimada em 15% dos pacientes acima de 30…

14 horas atrás

Há como predizer quem vai ter uma parada cardiorrespiratória (PCR) em FV ou TV?

Estudo buscou desenvolver um algoritmo para identificar quem teria maior risco de parada cardiorrespiratória (PCR)…

15 horas atrás