Dia Mundial de Conscientização da Doença de Parkinson - PEBMED

Dia Mundial de Conscientização da Doença de Parkinson

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

11 de abril, Dia Mundial de Conscientização da Doença de Parkinson. Nesta data toda a sociedade mundial de saúde faz um alerta sobre o Parkinson, doença que afeta milhares de pessoas acima dos 65 anos. A data foi criada com a finalidade de conscientizar a população sobre a doença, que pode levar a diminuição da qualidade de vida e a importantes incapacidades. Parkinson é uma doença neurológica degenerativa e progressiva, afeta o sistema nervoso central, principalmente a região negra do cérebro, que é aquela responsável pela produção de dopamina. Uma das funções da dopamina, em uma das vias dopaminérgicas, é a nossa condição motora, que afetada pela doença fica comprometida. Ela ainda não é totalmente compreendida, mas os sintomas já são bem conhecidos. De acordo com Baptista et.al. (2019), a doença de Parkinson gera deficiência cognitiva, sendo uma manifestação não motora comum, podendo a pessoa evoluir para a demência grave.

A sintomatologia mais comum se apresenta nos tremores periféricos, principalmente nas mãos, rigidez muscular, o que pode levar a pessoa ao movimento em bloco, letargia de movimento e alterações na fala, escrita e memória, anedonia, cansaço, distúrbios do sono. Ansiedade e depressão também são comumente associadas à doença neurodegenerativa, que é progressiva e uma das mais frequentes no mundo, ficando atrás apenas do Alzheimer. Dessa maneira, Valcarenghi (2017, pág 295) relata em seu estudo que: “O convívio com as medicações ocorre de forma positiva quando é percebida a diminuição dos sinais e sintomas; porém, muitas pessoas referem que é necessário conviver também com os efeitos colaterais, de modo que isso se torna mais um desafio a enfrentar”. O autor ainda relata que a doença possui forte simbologia nas atividades do trabalho, principalmente para aqueles que adoecem em idade precoce e que devido às características da doença, como tremor e rigidez e dificuldade na marcha, percebem preconceito e se sentem estigmatizadas.

A equipe de enfermagem possui papel relevante no cuidado às pessoas com Parkinson. Devem se atentar, lembrando sempre de construir um projeto terapêutico singular (PTS) com suas etapas: diagnóstico, metas, divisão de responsabilidades e reavaliação. Importante pensar em alguns cuidados, de acordo com os principais sinais e sintomas da doença. Para isso o enfermeiro deve conhecer a fisiopatologia da doença, principalmente em relação a condição debilitante causada pela diminuição da dopamina no núcleo acumbes, conhecida região negra do cérebro. A doença não possui cura e é importante compreender que o cuidado é essencial para uma qualidade de vida. Desta forma, vamos conhecer alguns cuidados de enfermagem.

11 de abril, Dia Mundial de Conscientização da Doença de Parkinson

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas

Cuidados de enfermagem a pessoas com Parkinson

    • Realizar o acolhimento do usuário, compreendendo o seu processo de adoecimento, tratando-o com empatia, sendo sensível aos comprometimentos causados pela doença na pessoa;
    • Orientar quanto o processo de saúde-doença ao paciente, cuidador e familiar, objetivando melhores práticas de cuidado no ambiente domiciliar, enfatizando o comprometimento motor;
    • Avaliar e orientar quanto à alimentação, considerando dificuldade motora, criando estratégias de cuidado. Considerar o uso de espessantes e alimentos que minimizem riscos de aspiração para o paciente;
    • Avaliar o comprometimento cognitivo e motor, criando estratégias de cuidado, compreendendo as principais dificuldades da pessoa, seja no ambiente domiciliar, laboral ou escolar e criar sempre junto à pessoa possíveis intervenções;
    • Avaliar a deambulação do usuário e o risco de queda, criando estratégias de cuidado;
    • Avaliar as medicações e orientar quanto à administração, doses e horários;
    • Realizar exame da condição cognitiva e motora rotineiramente;
    • Abordar a questão do isolamento social provocado pelos sintomas da doença, como sintomas motores, locomoção, sialorreia e dificuldade de fala;
    • Avaliar trânsito intestinal, uma vez que a constipação é um problema comum, a ingestão de alimentos ricos em fibra e a maior ingestão de água. Esses cuidados podem ser ofertados de maneira fácil.

O conhecimento da doença pode modificar o comportamento social frente ao processo de interação com as pessoas que possuem Parkinson, valorizando o respeito e melhoria da qualidade de vida dessas pessoas. A PEBMED apóia essa iniciativa e também informa sobre o evento realizado no próximo dia 11 de Abril, Dia Mundial De Conscientização da Doença de Parkinson, pela Associação Brasil Parkinson(ABP), que fará um simpósio internacional online pelo Facebook. Confira a programação e participe!!!

Autor:

Referências bibliográficas:

  • BAPTISTA et.al. Idosos com doença de Parkinson: perfil e condições de saúde. Rev. Enferm. Foco; vol.10,num. 5 pág.99-102, 2019.
  • VALCARENGHI RV. O cotidiano das pessoas com a doença de Parkinson. Rev Bras Enferm. Vol. 71, núm 2,pág. 272-279, 2018.
  • TOSIM M.H.de S.Intervenções de Enfermagem para a reabilitação na doença de Parkinson: mapeamento cruzado de termos. Rev. Latino-Am. Enfermagem;num 24, 2016.

 

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar