Página Principal > Cirurgia > Doação de Órgãos: conduta médica, critérios e os erros e acertos
médico e paciente dando as mãos

Doação de Órgãos: conduta médica, critérios e os erros e acertos

Tempo de leitura: 2 minutos.

Nesse dia 27 de setembro é celebrado o Dia Nacional de Doação de Órgãos, com o objetivo de conscientizar a população sobre a importância da doação de órgãos. O Brasil é um dos países que mais fazem transplantes no mundo. Em número gerais de procedimentos, estamos em 2º lugar, atrás apenas dos Estados Unidos.

No entanto, quando o número avaliado é o de doadores por milhão de habitantes, ainda estamos bem abaixo e a fila de espera só aumenta. Veja aqui alguns artigos da PEBMED sobre o assunto:

Com a confirmação da morte encefálica (ME), a Comissão Intra-hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT) é a responsável pela abordagem familiar para autorizar a doação de órgãos. Nesse momento, inicia-se um novo protocolo, com o objetivo de manter a perfusão e a oxigenação necessária para o sucesso do procedimento de transplante. Saiba mais aqui.

Muitos hospitais estão desenvolvendo melhores práticas e treinando suas equipes de saúde para aumentar o número de doadores e cirurgias. Porém, a realidade é que os números tem piorado nos últimos anos. Leia mais aqui.

Estão estabelecidos os pontos-chave para o paciente potencial doador, para controle de volemia, pressão arterial e fluxo sangüíneo para manter estabilidade clínica, apesar da morte cerebral. Saiba quais aqui.

“Tem tantas pessoas fazendo coisas incríveis no mundo. Eles são ótimos e eu quero ser um grande garoto também”, foi isso que Liang Yaoyi, um menino de 9 anos, disse para sua mãe antes de morrer. Relembre o caso aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.