Leia mais:
Leia mais:
O uso de betabloqueadores em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica
Betabloqueadores são benéficos na doença pulmonar obstrutiva crônica?
Como tratar hipertensão em pacientes asmáticos?
Hipotensores oculares utilizados no tratamento do glaucoma
Betabloqueadores em gestantes podem provocar má-formação nos bebês?

Dúvidas sobre o uso de betabloqueadores em pacientes com insuficiência cardíaca e fibrilação atrial

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

Um novo estudo – subgrupo do Fibrilação Atrial / Insuficiência Cardíaca Congestiva (AF-CHF) -, publicado no JACC em 20171, sugere que betabloqueadores (BB) reduzem o risco de todas as causas de morte, mas não as hospitalizações em pacientes com insuficiência cardíaca (IC) e fibrilação atrial (FA). Estes achados contradizem uma meta-análise, publicada no Lancet em 20142, que não mostrou nenhum benefício de sobrevida com o uso de BB em pacientes com IC e FA, inclusive recomendando que os BB não devam ser utilizados preferencialmente em relação a outros medicamentos que controlam frequência nesses pacientes.

Os autores da análise do subgrupo do AF-CHF avaliam que é muito precoce a utilização de dados de uma única meta-análise para descartar completamente os benefícios potenciais dos BB em pacientes com IC e FA. Por outro lado um dos autores da meta-análise observou que seu estudo foi baseado em dados individuais de pacientes de ensaios controlados randomizados, enquanto que o outro estudo é uma análise post hoc baseada em “dados essencialmente observacionais” do estudo AF-CHF, em que os pacientes foram randomizados para a frequência versus controle do ritmo, mas não para os próprios betabloqueadores.

No estudo AF-FHC para análise post hoc, foram avaliados dados de 1376 pacientes (idade média de 70 anos, 81% do sexo masculino) randomizados no estudo AF-CHF. No total, 291 pacientes não estavam recebendo betabloqueadores no início do estudo. Durante um segmento médio de 37 meses os betabloqueadores foram associados com 28% de redução na mortalidade por todas as causas, mas não reduziram a mortalidade cardiovascular ou hospitalizações.

Mais do autor: ‘Devemos usar estatinas na prevenção primária das doenças cardiovasculares após os 40 anos?’

Existem fatores confundidores em relação aos dois estudos. O Dr. Dhiraj Gupta, pesquisador não envolvido em nenhum dos dois estudos, afirma que tanto a avaliação do subgrupo quanto do AF-CHF são falhos. O estudo AF-FHC é falho pela simples razão que os pacientes que não estavam em uso de BB no início do estudo foram os que tiveram um prognóstico muito pior em vários aspectos. Por exemplo, eles tinham taxas mais baixas de anticoagulação oral e complexo QRS mais alargados, os quais são fortemente preditores de mortalidade. Além disso, o motivo porque 20% dos pacientes não estavam em uso de BB foi devido à intolerância, presumivelmente por causa de hipotensão, e a causa mais importante para a hipotensão nestes pacientes é muitas vezes a natureza da sua capacidade de ejeção ventricular.

Até que ponto os resultados discordantes desses dois estudos afetam a prática médica em relação aos pacientes com FA e IC? O Dr. Gupta observou que, apesar da metanálise ter sido publicada em uma revista de alto impacto, a prática médica permaneceu mais ou menos a mesma pela razão de que as diretrizes de insuficiência cardíaca ainda não foram alteradas. Os BB continuam a constituir a pedra angular do cuidado da HF e as diretrizes não distinguem entre doentes com e sem FA.

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

Autor:

Referências:

  • Cadrin-Tourigny J, Shohoudi A, Roy D, et al. Decreased mortality with beta-blockers in patients with heart failure and coexisting atrial fibrillation. JACC: Heart Fail 2017; DOI:10.1016/j.jchf.2016.10.015
  • Kotecha D, Holmes J, Krum H, et al. Efficacy of ß blockers in patients with heart failure plus atrial fibrillation: An individual-patient data meta-analysis. Lancet 2014; DOI:10.1016/S0140-6736(14)61373-8.
Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar