Página Principal > Cardiologia > Estratégia invasiva precoce versus tardia em SCA sem elevação do segmento ST
animação de um coracao humano

Estratégia invasiva precoce versus tardia em SCA sem elevação do segmento ST

Tempo de leitura: 2 minutos.

Uma estratégia invasiva de rotina é recomendada para pacientes com síndromes coronarianas agudas sem elevação do segmento ST (non-ST-elevation acute coronary syndromes, NSTE-ACS). No entanto, o momento ideal da estratégia invasiva não está claramente definido. Até o momento, ensaios clínicos individuais não foram suficientes para detectar um efeito sobre a mortalidade.

De acordo com uma metanálise publicada recentemente no Lancet, uma estratégia invasiva precoce em pacientes com NSTE-ACS não reduz necessariamente a mortalidade em comparação com uma estratégia tardia.

Para a metanálise foram identificados ensaios clínicos randomizados que compararam a estratégia invasiva precoce versus tardia em pacientes que apresentaram NSTE-ACS. As buscas foram realizadas no MEDLINE, Cochrane Central Register of Controlled Trials e Embase até dezembro de 2016.

Como critérios de inclusão foram considerados ensaios que relataram mortalidade por todas as causas pelo menos 30 dias após a randomização no hospital e para os quais os investigadores do estudo concordaram em colaborar.

Foram excluídos ensaios clínicos com randomização pré-hospitalar e aqueles que compararam uma estratégia invasiva de rotina com uma estratégia invasiva seletiva ou intervenção coronária percutânea precoce versus tardia.
Foram incluídos oito ensaios (n=5.324 pacientes) com uma mediana de acompanhamento de 180 dias (intervalo interquartil: 180-360).

O Whitebook está com uma nova seção de Dermatologia! Baixe agora mesmo e acesse nosso atlas de imagens e muito mais. 

Os dados para mortalidade por todas as causas e infarto do miocárdio não-fatal foram completos para todos os pacientes. No total, 277 (5%) de 5.324 pacientes morreram durante todo o período de acompanhamento. Destes, 121 (44%) óbitos ocorreram durante o tratamento hospitalar e 156 (56%) após a alta hospitalar.

No geral, não houve redução significativa da mortalidade no grupo invasivo precoce em comparação com o grupo invasivo tardio (hazard ratio [HR]: 0,81; intervalo de confiança [IC] de 95%: 0,64 a 1,03; p=0,0879).

Em análises pré-especificadas de pacientes de alto risco, foi observada menor mortalidade com estratégia invasiva precoce em pacientes com biomarcadores cardíacos elevados na linha de base (HR: 0,761; IC 95%: 0,581 a 0,996), diabetes (HR: 0,67; IC 95%: 0,45 a 0,99), escore de risco GRACE maior do que 140 (HR: 0,70; IC 95%: 0,52 a 0,95) e idade maior do que 75 anos (HR: 0,65; IC 95%: 0,46 a 0,93), embora os testes de interação não tenham sido conclusivos.

O estudo concluiu, portanto, que uma estratégia invasiva precoce não reduz a mortalidade em comparação com uma estratégia invasiva tardia em pacientes com NSTE-ACS. Entretanto, uma estratégia invasiva precoce poderia reduzir a mortalidade em pacientes de alto risco. Novos estudos em larga escala são necessários para a obtenção de evidências definitivas se uma estratégia invasiva precoce é benéfica em comparação com uma estratégia invasiva tardia nos subgrupos de alto risco.

Veja também: ‘O que fazer quando a SCA complica com um bloqueio atrioventricular?’

Autora:

Referências:

  • Jobs A, Mehta SR, Montalescot G, et al. Optimal Timing of an Invasive Strategy in Patients With Non-ST-Elevation Acute Coronary Syndrome: A Meta-Analysis of Randomized Trials. Lancet. 2017 Aug 19;390(10096):737-746. doi: 10.1016/S0140-6736(17)31490-3. Epub 2017 Aug 1.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.