Estudo identifica principais abordagens não farmacológicas para o manejo do delirium em crianças sob cuidados intensivos

Os cuidados paliativos no tratamento intensivo são fundamentais para melhorar o bem-estar. Conheça os métodos não farmacológicos indicados.

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

Um recente estudo envolvendo profissionais de saúde que atuam em Unidades de Terapia Intensiva Pediátrica (UTIP) levou os pesquisadores a desenvolver um bundle não farmacológico para o manejo do delirium em crianças sob cuidados intensivos. O artigo Development of a non-pharmacologic delirium management bundle in paediatric intensive care units foi publicado recentemente no periódico Nursing in Critical Care.

Crianças em estado crítico são propensas a sentir desconforto, dor e angústia. Frequentemente, os pacientes pediátricos são submetidos a procedimentos dolorosos, como inserção de acessos intravenosos, drenos, cateteres, aspiração de tubo endotraqueal e outras invasões necessárias e, muitas vezes, recorrentes. Ademais, esses pacientes estão sujeitos a ruído e luz intensos.

Leia também: Revisão destaca a necessidade de desenvolvimento contínuo de cuidados paliativos em pediatria

Para reduzir o sofrimento, medicamentos analgésicos e sedativos são comumente administrados, mais frequentemente opioides e benzodiazepínicos. Ao mesmo tempo, o uso excessivo desses fármacos acarreta o risco de ventilação mecânica (VM) prolongada, permanência prolongada na UTIP, síndrome de abstinência iatrogênica (SAI) e delirium. Os distúrbios do sono e o delirium são frequentemente tratados com drogas adicionais, o que pode levar a um ciclo vicioso que contribui para o aumento da morbimortalidade infantil. Equilibrar a sedação adequada, evitando a super e a sub sedação, é um desafio nessas unidades.  

Bundles não farmacológicos para prevenção de delirium têm se mostrado eficazes em Unidades de Terapia Intensiva para adultos. O estudo então teve como objetivo analisar opiniões de especialistas e gerar decisões de consenso informadas sobre o conteúdo de um bundle não farmacológico para manejar o delirium em pacientes de UTIP. 

Solução Salina Hipertônica versus Manitol na diminuição da pressão intracraniana (PIC) em crianças com traumatismo craniano grave

Método

O estudo foi realizado com base na metodologia Delphi, um método sistemático e interativo baseado nas opiniões de um painel de especialistas na área de um tópico específico. Após várias rodadas com questionários, chega-se a um consenso sobre o tema. Foram duas rodadas efetuadas de fevereiro a abril de 2021.  

Participaram do estudo especialistas em UTIP, incluindo enfermeiros, médicos, pesquisadores, fisioterapeutas, especialistas em brincadeiras e terapeutas ocupacionais localizados na Europa, América do Norte, América do Sul, Ásia e Austrália.

Resultados

Os pesquisadores desenvolveram um questionário com base nos resultados de uma pesquisa bibliográfica abrangente nos domínios:  

  1. Apoio à cognição;  
  2. Suporte ao sono;  
  3. Apoio à atividade física.  

Sob esses domínios, foram listadas 11 estratégias para promover apoio com 61 intervenções. Os participantes avaliaram a viabilidade de cada intervenção em uma escala Likert de nove pontos (variando de 1 [“discordo totalmente”] a 9 [“concordo totalmente”]). O índice de discordância e a mediana do painel foram calculados para determinar o nível de concordância entre os especialistas.  

Na segunda rodada, os participantes reavaliaram as afirmações revisadas e classificaram as intervenções em cada domínio em ordem de importância para as faixas etárias: 0-2, 3-5 e 6-18 anos de idade.  

Durante a primeira rodada Delphi, 53 de 74 (72%) questionários foram preenchidos. Na segunda rodada, 45 de 74 (61%) foram preenchidos. Cinco das intervenções mais bem classificadas em todas as faixas etárias foram: 

  1. Desenvolver uma rotina diária; 
  2. Ajustar a exposição à luz de acordo com a hora do dia; 
  3. Programar o horário para dormir; 
  4. Fornecimento de óculos e aparelhos auditivos, se apropriado; 
  5. Incentivar a presença dos pais.  

 Conclusões

Neste relevante estudo, intensivistas pediátricos internacionais e interprofissionais identificaram intervenções não farmacológicas para o manejo do delirium que consistem em desenvolver uma rotina diária, ajustar a exposição à luz de acordo com a hora do dia, programar o horário para dormir, fornecer óculos e aparelhos auditivos, se apropriado, e incentivar a presença dos pais.

As intervenções dirigidas por enfermeiros com envolvimento dos pais são preferidas no manejo do delirium em pacientes de UTIP. O próximo passo, conforme descrito pelos pesquisadores, será o teste de viabilidade e estudo-piloto de um programa de manejo de delirium não farmacológico em UTIP (non-pharmacologic delirium management program-pediatric intensive care unit NDB-PICU), investigando o envolvimento dos pais na prática clínica, avaliação e implementação do bundle.

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão
# Stenkjaer RL, Herling SF, Egerod I, et al. Development of a non-pharmacologic delirium management bundle in paediatric intensive care units [published online ahead of print, 2022 Jun 21]. Nurs Crit Care. 2022;10.1111/nicc.12809. doi:10.1111/nicc.12809