Página Principal > Hepatologia > Hepatite C: novo regime antiviral apresenta eficácia de quase 100%
animação de um figado humano

Hepatite C: novo regime antiviral apresenta eficácia de quase 100%

Tempo de leitura: 2 minutos.

A infecção pelo vírus da hepatite C (HCV) afeta milhões de indivíduos em todo o mundo e, quando não tratada, pode levar a cirrose hepática e carcinoma hepatocelular. A incidência da infecção por HCV continua a aumentar em todo o mundo, e todos os anos cerca de 500.000 pessoas morrem de doenças relacionadas ao vírus.

O regime antiviral pangenotípico de ação direta sem ribavirina, glecaprevir coformulado com pibrentasvir, mostrou altas taxas de resposta virológica sustentada em estudos de fase II/III. EXPEDITION-1, um estudo conduzido em 40 locais na Bélgica, Canadá, Alemanha, África do Sul, Espanha e EUA, foi realizado com o intuito de avaliar a eficácia e a segurança dessa combinação em 12 semanas no tratamento de pacientes com HCV.

Para o estudo, foram incluídos pacientes adultos (idade ≥ 18 anos) com infecção por HCV genótipos 1, 2, 4, 5, ou 6 e cirrose compensada. Foram avaliados tantos os pacientes previamente tratados como aqueles virgens de tratamento.

No total, 146 pacientes com cirrose compensada foram avaliados. Em relação ao genótipo, 33%, 27%, 23%, 11%, 1% e 5% apresentam genótipo 1a, 1b, 2, 4, 5 e 6, respectivamente. A maioria dos pacientes era caucasiano, do sexo masculino e virgem de tratamento.

Leia também: ‘FDA aprova Maviret para o tratamento da hepatite C’

A resposta virológica sustentada em 12 semanas após o término do tratamento foi atingida por praticamente todos os pacientes (n=145, 99%, intervalo de confiança [IC] de 95%: 98 a 100). Um paciente com HCV genótipo 1a apresentou recidiva na semana 8 após o tratamento.

Em relação à segurança, 101 (69%) pacientes apresentaram eventos adversos, dos quais 64% foram de gravidade leve, sendo a fadiga e a cefaleia os eventos mais frequentemente reportados. Nenhum evento adverso sério observado foi considerado relacionado ao tratamento com glecaprevir coformulado com pibrentasvir.

Pode-se concluir, portanto, que praticamente todos os pacientes (99%) tratados com a combinação alcançaram a resposta virológica sustentada em 12 semanas. Adicionalmente, este regime terapêutico apresentou um perfil de segurança favorável em pacientes com HCV genótipo 1, 2, 4, 5 ou 6 e cirrose compensada. Um tratamento isento de interferon e sem ribavirina para a maioria dos pacientes com infecção por HCV e cirrose compensada pode ajudar a simplificar os algoritmos de tratamento e reduzir a carga da terapia.

E mais: ‘Tratamento para hepatite C pode causar recorrência de hepatite B’

Referências:

  • Forns X, Lee S, Valdes J, Lens S, Ghalib R, Aguilar H, et al. EXPEDITION-I: efficacy and safety of glecaprevir/pibrentasvir in adults with chronic hepatitis C virus genotype 1, 2, 4, 5 or 6 infection and compensated cirrhosis. J Hepatol. 2017;66(1):S3–4.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.