Página Principal > Pediatria > Hoverboard apresenta alto risco de quedas e lesões em crianças
médico imobilizando a mão do paciente

Hoverboard apresenta alto risco de quedas e lesões em crianças

Tempo de leitura: 2 minutos.

A Academia Americana de Pediatria publicou um estudo que tinha como objetivo conseguir mais informações sobre as características dos ferimentos causados pelo hoverboard – uma prancha de duas rodas autoequilibrada que funciona a base de bateria – e comparar ele com as lesões causados por skates em crianças que chegavam nos departamentos de emergência dos EUA (EDs).

Métodos

Os dados sobre essas lesões foram conseguidos através do Sistema Nacional de Vigilância de Lesões Eletrônicas, dos anos de 2015 e 2016, sobre crianças e adolescentes menores que 18 anos. Dentre esses dados era possível encontrar: dados demográficos, localização das EDs e as partes do corpo que foram lesionadas.

Resultados

Para essa pesquisa, foram consultadas uma média de  26.854 lesão originadas por hoverboards e 121.398 lesões que tiveram relação com o skate, que foram tratados nas EDs norte-americanas entre 2015 e 2016. A média de idades para lesões de hoverboard e skate foram de 11 e 13 anos, respectivamente. Os meninos eram os mais atingidos em ambos os grupos.

TCE na Emergência Pediátrica: o que fazer?

Enquanto a maior parte das lesões de hoverboard ocorreu dentro de casa, as que foram ocasionadas por skate aconteceram na rua. Os punhos foram a parte do corpo mais comumente lesionada e as fraturas foram o diagnóstico principal em ambos. Quase todos os pacientes receberam alta do hospital e apenas 3% deles precisaram ser internados no hospital, tanto no grupo do hoverboard quanto no do skate.

Não sabe de cor a dose de todos os medicamentos? O Whitebook te dá uma mãozinha. Clique aqui para baixar.

Conclusões

A forma como as lesões foram distribuídas entre os praticantes de skate e hoverboard apresentou uma grande semelhança: as lesões mais comuns foram fraturas, contusões e entorses e/ou distensões e aconteceram na sua maioria em pacientes do sexo masculino.

Porém os skatistas tiveram um número maior de entorses e/ou distensões em skatistas quando comparados com usuários de hoverboards. Além disso, as fraturas foram o motivo maior de internação hospitalar para ambos os brinquedos. A medida que as características das lesões no hoverboard vão sendo esclarecidas, medidas preventivas podem ser implementadas para diminuir a incidência dessas lesões.

Referência:

  • Pediatric Hoverboard and Skateboard Injuries – Sean Bandzar, Daniel G. Funsch, Rex Hermansen, Seema Gupta, Andrew Bandzar – Pediatrics Apr 2018, 141 (4) e20171253; DOI: 10.1542/peds.2017-1253

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.