Leia mais:
Leia mais:
O uso de estatinas está associado à progressão do diabetes?
Estatinas: FDA solicita a remoção da contra-indicação de seu uso durante a gravidez
Estatinas podem reduzir bridas intestinais no pós-operatório?
A terapia com estatinas para meninas em idade fértil requer discussão sobre anticoncepção
AHA 2020: Efeitos adversos das estatinas são mais ligados a efeito nocebo que a fatores bioquímicos

Inflamação coronariana: novo biomarcador identifica doença por TC

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

Oikonomou et al publicaram em agosto de 2018 o estudo CRISP CT no The Lancet. O estudo reuniu a análise retrospectiva de duas coortes. Uma com 1872 pacientes entre 2005 e 2009 em Erlangen, Alemanha. Outra em Cleveland, EUA, reuniu 2040 pacientes entre 2008 e 2016. Todos os pacientes tinham indicação de Angiotomografia Computadorizada (ATC). Durante esses exames foi medido o índice de atenuação adiposa perivascular (IAAP) que é um novo biomarcador por imagem de inflamação coronariana. A inflamação da artéria coronária inibe a adipogênese no leito perivascular. A pergunta era se o IAAP seria capaz de predizer desfechos clínicos.

Leia mais: ESC 2018: conheça novas diretrizes para revascularização do miocárdio

Foram então seguidos os pacientes da primeira coorte durante cerca de 72 meses e 54 meses na segunda coorte. Nas duas foram encontrados altos valores do IAAP em volta da coronária direita proximal e da artéria descendente anterior esquerda, mas não da artéria circunflexa esquerda. Esse valores foram preditivos de morte cardíaca (HR 2-15, 95% IC, p = 0,0017) na primeira coorte e também na segunda (HR 2-6, p < 0,0001). O valor ótimo de cutoff no qual havia notável aumento da mortalidade cardíaca foi de -70 unidades Hounsfield nas duas coortes. Acima desse valor, houve incrementos significativos da mortalidade global e cardíaca.

O IAAP não será, por enquanto, feito de rotina para pacientes assintomáticos. A ideia é que se faça a medida nos pacientes cujas ATCs estiverem previamente indicadas.Segundo os guidelines britânicos para manuseio da dor torácica a ATC está recomendada como teste diagnóstico de primeira linha para investigação de doença coronariana estável, angina típica e atípica e desconforto torácico não-anginoso com alterações eletrocardiográficas. São feitas 350.000 ATCs anualmente no Reino Unido com mais de 90% excluindo doença obstrutiva.

A medida do IAAP ajudaria a estratificar os pacientes conforme seu perfil inflamatório, visto que a maioria das placas de ateroma potencialmente vulneráveis e causadoras de rápida e progressiva obstrução não são detectadas normalmente.

Outros biomarcadores como o Escore de cálcio coronariano e a medida plasmática de proteína C reativa ultra-sensível (PCRus ) são potencialmente ultrapassados pelo IAAP. O escore de cálcio é recomendado para indivíduos com leve a moderado risco. No entanto, a calcificação coronariana é um processo irreversível e que pode até aumentar com a medicação apropriada (estatinas). Por outro lado, a PCRus não é específica para inflamação coronariana.

Estudos futuros poderão definir o risco específico por segmento coronariano acometido que não foi o alvo desse estudo. Poderão demonstrar por que a atenuação em volta da artéria circunflexa não é tão frequente quanto na artéria descendente anterior e na coronária direita.

É médico e também quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Referências:

Oikonomou et al, Non-invasive detection of coronary inflammation using computed tomography and prediction of residual cardiovascular risk (the CRISP CT study): a post-hoc analysis of prospective outcome data. The Lance, August 28, 2018 DOI:https://doi.org/10.1016/S0140-6736(18)31114-0

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar