Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Pneumologia / Efeitos do Ioga em pacientes com asma
mulheres praticando ioga

Efeitos do Ioga em pacientes com asma

Acesse para ver o conteúdo
Esse conteúdo é exclusivo para usuários do Portal PEBMED.

Para continuar lendo, faça seu login ou inscreva-se gratuitamente.

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

Tempo de leitura: 2 minutos.

A asma é uma doença crônica de grande prevalência populacional e que sempre desperta o interesse no desenvolvimento de terapia complementares à medicina tradicional. Neste contexto, a prática da ioga pode trazer benefícios para o paciente asmático, sendo inclusive incluída no Programa Nacional de Práticas Integrativas e Complementares do Ministério da Saúde.

A ioga apresenta movimentos, posturas e meditação, a partir de práticas físicas, mentais e espirituais. Sua prática proporciona a adoção de novo padrão respiratório, com redução do volume corrente e da frequência respiratória, o que poderia interferir positivamente no mecanismo de gatilho de uma crise de asma.

A meditação e a prática de exercícios respiratórios também reduzem o estresse e ansiedade e trazem maior auto-consciência e bem-estar, o que também ajuda a reduzir a ocorrência de crises asmáticas. As próprias posturas adotadas na ioga favorecem a uma maior expansão da caixa torácica, aumentam o tempo de pausa respiratória e a capacidade vital, o que também beneficia no tratamento da doença.

Em revisão sistemática da Cochrane, realizada a partir de 15 estudos randomizados controlados, a prática de ioga trouxe melhora na qualidade de vida, com incremento médio de 0,57 unidades em cada item de uma escala de sete pontos no Asthma Quality of Life Questionnaire (IC 95%, 0.37 – 0.77), em que mudanças a partir de 0,5 unidades são consideradas estatisticamente significativas. Trouxe melhora sintomática (teste da diferença das médias [DM] 0,37; IC 95%, 0,09 – 0,65) e redução na necessidade de medicações (RR = 5.35; IC 95%, 1.29 – 22.11), com a ressalva de que a terapia medicamentosa era distinta entre os estudos que comporam a metanálise. Também observaram-se alterações na espirometria: melhora no pico de fluxo expiratório (peak flow) e na capacidade vital forçada (CVF), embora não pareça alterar a relação VEF1/CVF.

Conclui-se, portanto, que a prática de ioga por pacientes asmáticos pode gerar diferenças significativas na qualidade de vida, ocorrência de sintomas e alguma melhora em parâmetros espirométricos, porém a heterogeneidade dos estudos apresentados na metanálise limita a interpretação destes resultados.

Autor:

Avatar

Referências:

  • Aaron, S. Effects of Yoga in Patients with Asthma. Am Fam Physician. 2017 Aug 1;96(3):159-160. Yang ZY, Zhong HB, Mao C, et al. Yoga for asthma. Cochrane Database Syst Rev. 2016;(4):CD010346.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.