Ministério da Saúde altera idade limite para cadastro de doadores de medula óssea - PEBMED

Ministério da Saúde altera idade limite para cadastro de doadores de medula óssea

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

O Ministério da Saúde realizou, por meio da portaria nº 1.229, de 15 de junho de 2021, entre outras mudanças, a alteração da idade limite para o cadastro de doadores de medula óssea no país de 55 para 35 anos.

Antes, o doador podia se cadastrar até 55 anos de idade e o cadastro permanecia ativo até os 60 anos. A partir deste mês, o cadastro continua ativo até 60 anos, mas o doador só pode se cadastrar até os 35 anos.

A portaria atualizou alguns pontos da estratégia de identificação e confirmação imunogenética de doadores voluntários de medula óssea e outros progenitores hematopoéticos para inscrição e manutenção do cadastro técnico do (Redome), coordenado pelo Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca).

Leia também: Covid-19: pacientes transplantados de medula óssea devem receber a vacina

Ministério da Saúde altera idade limite para cadastro de doadores de medula óssea

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas

Estudos recentes

Estudos recentes mostram que quanto mais novo é o doador, melhor o resultado do transplante para o paciente, promovendo aumento na sobrevida, além de menores taxas de complicações e óbitos.

Além do risco potencial para o doador, doadores mais velhos também podem comprometer a segurança e o bem-estar dos receptores de medula óssea. À medida que as células-tronco do sangue envelhecem, a sua capacidade de se regenerar com eficiência e funcionar de maneira adequada se deteriora.

Especialistas ressaltam que para uma doação bem-sucedida, a produção de células-tronco precisa ser maior para aumentar as chances de sucesso.

Segundo dados do portal do Redome, a idade média dos doadores é 32 anos. Em 2020, cerca de 80% dos doadores tinham até 40 anos. Já nos últimos três anos, 67% dos cadastrados possuíam entre 18 e 35 anos de idade.

Essa mudança realizada pelo Ministério da Saúde busca um alinhamento com os demais cadastros de medulas ósseas mundiais, que buscam doadores voluntários mais jovens, principalmente da faixa etária dos 18 aos 35 anos.

Tipagem completa

Além da mudança na idade, houve progresso na tipagem do cadastro para esses doadores com essa nova revisão do Ministério da Saúde.

Agora, com a compatibilidade HLA (Human Leukocyte Antigen), o doador entra no Redome com uma tipagem completa, sem precisar de tantos exames intermediários durante o processo de cadastro. Por isso, a expectativa é reduzir o tempo para a identificação de um doador compatível com a utilização dessa nova tecnologia implementada.

As mudanças incluem uma reorganização na distribuição de cotas para cadastramento de doadores em cada estado. A medida foi baseada no total de doadores cadastrados em relação à população e no número de cadastros feitos nos últimos três anos.

Agora, em todo o país, o limite ao longo do ano será de 145.632 novos doadores. Esse número é proporcional à população dos estados, considerando a atividade de cadastro de cada estado.

Saiba mais: Como funciona o transplante de medula óssea? Veja os conceitos básicos

Redome

O Redome é o terceiro maior registro de doadores voluntários do mundo, com quase 5,4 milhões de cadastros, que conta com uma média de 200 mil a 250 mil cadastros por ano. Os doadores cadastrados representaram 70% dos transplantes de medula óssea de doadores não aparentados realizados no país.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Autor(a):

Referências bibliográficas:

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar