Categorias: Pediatria

Nova lei torna obrigatória a adoção de protocolo para identificar autismo até os 18 meses de idade no SUS

A partir de outubro desse ano, o Sistema Único de Saúde (SUS) deverá adotar um protocolo padronizado para a avaliação de riscos ao desenvolvimento psíquico de crianças de até 18 meses de idade. O objetivo da nova legislação, sancionada na última semana pelo Governo Federal, é a identificação precoce do Transtorno do Espectro Autista (TEA) e outras doenças neurológicas.

O protocolo consiste de cerca de 20 perguntas, que avaliam os riscos ao desenvolvimento psíquico de crianças no período em que o sistema nervoso está em formação, como “seu filho olha para você no olho por mais de um segundo ou dois? Seu filho sorri em resposta ao seu rosto ou ao seu sorriso? O seu filho imita você?”.

O diagnóstico precoce do autismo é fundamental para o desenvolvimento do lactente. Por isso, especialistas esperam que essa medida ajude na identificação do transtorno já nos primeiros meses de vida, aumentando as chances de uma vida melhor para o paciente.

Veja também: ‘Fatores pré‐natais, perinatais e pós‐natais associados ao autismo’

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgados em abril desse ano, o TEA afeta 1 em cada 160 crianças em todo o mundo; no Brasil, dois milhões de famílias convivem com o transtorno. O autismo é caracterizado por dificuldades de comunicação e socialização, déficit no domínio da linguagem e uso da imaginação, associado a um padrão de comportamento restritivo e repetitivo.

Ainda segundo a OMS, o método ABA é a terapia mais indicada para o tratamento do autismo.

Veja no Whitebook mais condutas no diagnóstico e acompanhamento do paciente com autismo. Clique aqui para baixar grátis!

 

Referências:

Compartilhar
Publicado por
Vanessa Thees

Posts recentes

O paciente como um todo: entendendo o indivíduo, a família e o contexto

A experiência que cada paciente tem é única e esse entendimento, pelo médico, é fundamental…

28 minutos atrás

As aplicabilidades da escala de coma de Glasgow [podcast]

No episódio de hoje, Felipe Nobrega comenta sobre o uso da escala de coma de…

1 hora atrás

Tempo mínimo de tratamento para a pneumonia adquirida na comunidade: o estudo PCT

A duração difundida do tratamento antimicrobiano para pneumonia adquirida na comunidade, de 5 a 10…

4 horas atrás

Modelo de predição de parto prematuro para mulheres em trabalho de parto prematuro

O paradigma envolvendo o parto prematuro é a dificuldade de diagnóstico, uma vez que seus…

6 horas atrás

O coping religioso/espiritual como dimensão do cuidar

Coping religioso e espiritual está diretamente associado à saúde e à qualidade de vida. A…

7 horas atrás

Síndrome Metabólica e Colangiocarcinoma: destaques em Medicina Interna

Mais de 80 conteúdos publicados esta semana. Destaque para Medicina Interna, com Síndrome Metabólica e…

24 horas atrás